MotoGP™ Basics

Voltar ao índice

Moto2™

O que é a Moto2™?

A categoria de Moto2™, de 600cc a 4-tempos, veio substituir as 250cc a 2-tempos em 2012 com o intuito de ser uma prestigiada classe de apoio à categoria rainha do MotoGP, mas também de custos controlados. O que se seguiu foram corridas sensacionais, com grelhas bastante concorridas e com até 20 motos separadas entre si por apenas um segundo.

Algumas das principais características desta categoria dos Grandes Prémios são a existência de um só fornecedor de motores e um de pneus. A Honda Racing Corporation foi a escolhida para fornecer os blocos propulsores, enquanto a Dunlop é a responsável pelos pneus.

Especificações Técnicas

Dotada de motor mono-marca de 600cc a 4-tempos, com uma potência na ordem dos 140cv, a Moto2™ faz correr chassis protótipos livres de limitações. Não são permitidas peças de produção no quadro, braço oscilante, depósito de combustível e banco, o que faz com que estes aspectos da máquina fiquem à discrição do fabricante e desenhador.

Contudo, os sistemas electrónicos são mais limitados que os anteriormente permitidos nas 250cc, onde se chegou a ver alguns construtores correrem com controlo de tracção. As regras de Moto2™ permitem a utilização de telemetria, ECU e transponders de cronometragem fornecidos pelo organizador, com o custo máximo dos componentes das ECU de 650 euros. Não são permitidos mais nenhuns sistemas de controlo de electrónica, nem de registo de dados nas motos.

A lista de participantes para a época de estreia em 2010 estava recheada de pilotos talentos e experientes, com quatro Campeões do Mundo de 125cc a competirem na classe: Thomas Lüthi (2005), Gabor Talmacsi (2007), Mike di Meglio (2008) e Julián Simón (2009). Ao lado destes estiveram também sete nomes com experiência na categoria de MotoGP: Toni Elías, De Angelis, Niccolò Canepa, Yuki Takahashi, Talmacsi, Anthony West e Rolfo.

Desde então, a Moto2™ tem oferecido corridas emocionantes e muito disputadas, com 17 pilotos diferentes a terminarem no pódio em 2010 e 16 em 2011. A estrutura da classe revelou-se uma fórmula de competição robusta, com as intenções de inscrições para o primeiro ano a ir além do máximo permitido e com a grelha de 2011 a ficar muito perto do limite de 40 motos.

Moto2™ no CEV Buckler

As máquinas de Moto2™ participaram nas primeiras corridas na edição de 2009 do CEV Buckler - Campeonato de Espanha de Velocidade, com equipas como a Promo Racing, Laglisse e BQR a rodarem com os primeiros protótipos de Moto2™ e darem mostras do impressionante potencial das máquinas.

Publicidade