Mudanças de pessoal e de sorte na box da Pramac

Sexta, 15 Julho 2011

Após ter rodado em FP1, Loris Capirossi decidiu que não podia continuar a participar no eni Motorrad Grand Prix Deutschland e Sylvain Guintoli assumiu o seu lugar até ao final do fim-de-semana. Enquanto isso, Randy de Puniet teve positivo primeiro dia de trabalho na nona jornada.

Muito se passou nesta sexta-feira na box da Pramac Racing em Sachsenring, onde se disputa o eni Grande Prémio da Alemanha. Depois de ter falhado as duas últimas jornadas em Assen e Mugello na sequência de forte queda na qualificação na pista holandesa, Loris Capirossi tentou voltar à acção ao rodar em FP1.

Infelizmente para o italiano, a recuperação do ombro mostrou-se demasiado dolorosa para poder rodar como deve ser, o que o obrigou a desistir da nona Jornada e dar o lugar ao gaulês Sylvain Guintoli em Sachsenring.

“Tentei rodar, mas a minha condição ainda não é a suficiente para o fazer e foi por isso que decidi parar e dar a minha moto ao Sylvain,” disse Capirossi ao motogp.com. “A situação é estranha porque as costelas não estão mal, mas a clavícula é um grande problema, não tenho força no braço e não consigo mudar de direcção com a moto. De todas as formas, é uma boa oportunidade para fazer fisioterapia nos próximos três dias e tomar uma decisão para Laguna Seca.”

Ele acrescentou: “Esperava mesmo estar em melhores condições e correr aqui, gosto da pista. Gostava de treinar um pouco durante a paragem e voltar totalmente em forma em Brno. Até lá temos tempo para estar a 100%.”

Guintoli, que testou em Mugello há quase duas semanas em preparação para eventual substituição de Capirossi, disse sobre o treino da tarde: “Foi divertido. Ainda estamos muito lentos e temos trabalho a fazer, mas foi uma sessão interessante. Esta pista é muito pequena para esta moto, pelo que é difícil trabalhar, mas estamos a dar o máximo a desfrutar isso mesmo. Tenho de admitir que nunca pensei que gostasse de rodar devagar! Está a ser uma grande sensação.”

A melhor volta do francês na sessão de 45 minutos foi de 1m25,964s, 3,739s mais lento que Marco Simoncelli. Guintoli continuou: “Não sei se há metas realistas porque este pessoal é muito rápido e eu saltei para a moto a meio de tudo. Também estou há três anos nas superbikes, tudo é diferente – sinto que tenho de reaprender tudo. Tenho de me divertir, progredir e é uma experiência completamente diferente!”

Guintoli vai partilhar a garagem da Pramac com o compatriota Randy de Puniet neste fim-de-semana. O gaulês teve positivo início nesta nona ronda depois de difícil arranque de 2011. De Puniet foi o oitavo do dia com um tempo de 1m23,037s, apenas a oito décimos de Simoncelli, e ficou muito satisfeito com as sensações obtidas aos comandos da GP11.

“Estou contente com o dia de hoje depois de muitas corridas difíceis para nós. Estamos a sentir-nos bem. Recebi novo quadro da Ducati e parece um pouco melhor que o anterior. É um pequeno passo, mas temos de continuar a trabalhar e a base é muito boa. É uma moto ‘step 2’, similar à do Nicky (Hayden). É difícil comparar as diferenças porque esta pista é estreita e a velocidade em curva é lenta. De forma geral o quadro é melhor e vamos continuar a trabalhar nele durante o fim-de-semana.”

Este GP marca também o regresso de De Puniet à pista onde partiu a perna na época passada. Ele concluiu: “A corrida do ano passado foi um ponto de viragem na minha temporada e espero que este ano também o seja, mas pelos motivos opostos.”

Últimas notícias

  • MotoGP™
  • Moto2™
  • Moto3™
Publicidade
Paddock Girls MotoGP VIP VILLAGE™