Pedrosa estreia-se a vencer em Motegi com Stoner em terceiro e Dovi em quinto

Domingo, 2 Outubro 2011

Dani Pedrosa assinou a terceira vitória da época num emocionante Grande Prémio do Japão com Casey Stoner a subir ao pódio, em terceiro, e Andrea Dovizioso a terminar em quinto.

Pedrosa festejou a 400ª vitória espanhola em Grandes Prémios e deu à Repsol Honda Team o seu primeiro triunfo no circuito de Motegi este domingo no Grande Prémio do Japão. Foi também a primeira vitória da Honda no circuito desde o triunfo de Makoto Tamada aos comandos da Camel Honda em 2004. Ao lado de Pedrosa no pódio, recebendo o troféu de construtores, esteve Takanobu Ito, Presidente e Director Executivo da Honda.

Os três pilotos da Honda fizeram fantástica partida e lideraram a corrida durante as quatro voltas, até Stoner apanhar um grande susto na quinta volta e sair de pista. Dovizioso passou então a liderar a corrida, mas foi penalizado com uma passagem pela via de boxes devido a falsa partida. Pedrosa assumiu então o primeiro posto e melhorou o seu ritmo volta após volta para garantir confortável vitória por mais de sete segundos sobre Lorenzo. Stoner recuperou posições ao longo do pelotão para terminar no pódio. Depois da penalização Dovizioso não demorou a voltar ao ritmo e protagonizou grande batalha com Marco Simoncelli nas últimas duas voltas, mas acabou por ser batido por Simoncelli na última volta e terminar em quinto.

Dani Pedrosa:
"Estou muito contente com esta vitória, pela equipa que tem trabalhado tão bem, pela HRC porque é a primeira vitória em Motegi com a Repsol Honda Team e por mim porque foi o meu primeiro triunfo aqui no MotoGP depois já ter ganho nas 125cc e 250cc. A corrida foi estranha no início, com o Stoner e o Dovi muito rápidos nas primeiras voltas; eles fugiram e depois o Casey teve um problema e o Andrea foi penalizado pela falsa partida. Estava sozinho na frente com o Lorenzo a aproximar-se, mas tentei concentrar-me e dar o máximo para me isolar. Estou contente porque nesta pista tenho um misto de bons e maus resultados e algumas lesões, pelo que voltar um ano mais tarde e ganhar no MotoGP é fantástico."

Casey Stoner:
"O fim-de-semana estava todo a correr muito bem para nós e fizemos uma boa partida; consegui uma pequena vantagem. O Andrea estava a rodar muito bem com o composto macio e sabíamos que o nosso trabalharia bem lá para o final da corrida, pelo que o ritmo que tínhamos nessa altura era muito confortável. Quando saí da recta oposta tive um ressalto na moto, bati num grande ressalto e a frente foi ao batente, as minhas mãos quase saltaram do guiador. Travei e não havia nada, pelo que tive de os bombear umas vezes; à segunda fez-me saltar um pouco da moto e tive sorte em não cair. Felizmente não bati na parede no final da gravilha, mas é mesmo desapontante porque tínhamos moto para ganhar hoje, mas no final de tudo acho que tenho de estar contente por ter recuperado até ao pódio depois dos azares e erros de outros em pista. Estou desejoso por ir para Phillip Island agora e ver o que consigo fazer lá; tenho de defender a liderança no Campeonato, mas também quero ganhar corridas."

Andrea Dovizioso:
“Nem acredito. Nunca tinha feito uma falsa partida na minha carreira e tinha de acontecer hoje, numa corrida onde sentia que podia lutar pela vitória! Não sei porque é que a moto se moveu um pouco antes das luzes se apagarem, mas senti logo e já esperava a penalização. Nas primeiras voltas tive boas sensações com a moto e dei tudo porque sabia que era o único piloto na frente com pneus macios; na minha opinião foi a escolha certa e estava a apanhar o Casey. Depois ele alargou a trajectória e dei por mim na liderança da corrida, mas infelizmente não durou muito. Quando voltei à corrida depois da penalização dei o máximo, mas não é o mesmo que quando se está a lutar pela vitória. Nas últimas cinco voltas o pneu traseiro começou a perder e deixei de conseguir ser rápido a meio das curvas. Entretanto, o Simoncelli recuperou e estava atrás de mim, fiz tudo que pude para defender a posição, mas não consegui. Estou mesmo desiludido porque estou certo que hoje podia ter lutado pelo triunfo, viu-se na última volta que a minha diferença para o Dani era semelhante ao tempo que perdi na penalização. Lamento pela equipa, fizemos um grande trabalho e senti-me competitivo. Também é uma pena pelos pontos no Campeonato, de todas as formas estou ansioso por Phillip Island porque mais um vez mostrei que sou rápido.”

Comunicado de imprensa Repsol Honda.

Últimas notícias

  • MotoGP™
  • Moto2™
  • Moto3™
Publicidade
MotoGP VIP VILLAGE™