Attack Performance alinha nas rondas americanas com CRT própria

Quinta, 19 Julho 2012

Em pouco mais de uma semana a grelha do MotoGP™ atravessa o Atlântico para alinhar no Red Bull Grande Prémio dos Estados Unidos, em Laguna Seca, com a formação local Attack Performance a alinhar na prova com uma CRT construída pela própria.

A Attack Performance, com sede em Huntington Beach, California, e dirigida pelo dono Richard Stanboli, deu a Steve Rapp, piloto AMA, a responsabilidade de defender as cores da equipa nas jornadas de Laguna Seca e Indianapolis aos comandos de ambicioso projecto CRT. Com a decisão de participar como wild card a ter sido tomada apenas em Março deste ano, Stanboli e a sua formação têm pela frente gigantesca tarefa, com o teste da máquina a ter lugar apenas no fim-de-semana antes da corrida. Além disso, tudo isto tem tido lugar enquanto competem na AMA Superbikes, competição em que a equipa também vai alinhar em Laguna Seca.

A moto em si tem um chassis APR (Attack Performance Racing), de desenho “twin spar” em alumínio, maquinado quase na totalidade de um só lingote, e contará com um motor Kawasaki ZX10R bem afinado e capaz de debitar mais de 220cv. A máquina vai ser equipada com travões de carbono da Brembo, assim como com suspensão Öhlins.

Com apenas uma semana de trabalho pela frente até a APR ir para o asfalto de Laguna Seca pela primeira vez, o motogp.com falou com Stanboli antes de partirem para o teste na pista de Buttonwillow Raceway Park para saber mais sobre o ambicioso projecto.

Qual é tua motivação neste projecto CRT?

 

“Há muito tempo que temos este objectivo de construir uma moto de competição de raiz. Nos últimos anos a AMA afastou-se das puras motos de corridas em prol de um ambiente mais controlado. Mais, estivemos envolvidos com a Kawasaki e a Suzuki há alguns anos, pelo que tínhamos responsabilidades contratuais que colocavam de parte a opção de construirmos a nossa moto.”

“No início deste ano tínhamos um programa para correr na AMA e contactámos o Mike Trimby (Secretário Geral da IRTA) e colocámos as coisas em andamento para participarmos como Wild Cards. A 31 de Março recebemos luz verde e começámos a desenhar e construir a moto. Ironicamente, arranjámos um patrocinador para a AMA na mesma altura e agora vamos fazer as duas. É do género tudo, ou nada”

 

O que esperas conseguir nas rondas americanas do MotoGP? Que metas tens para ti e para o Steve?

 

“Não temos grandes expectativas. Penso que construir a moto em tão curto espaço de tempo é um feito em si. Aparecer e participar numa corrida de GP só por si já é um grande feito.”

 

“O Rapp tem muita experiência de pista e já conquistou vários pódios AMA lá [em ambas as pistas]. Acredito que temos alguma vantagem por corrermos em casa, pelo que espero que sejamos capazes de rodar com as CRT mais rápidas, o resto veremos.”

   

Quais foram para ti os maiores desafios?

 

“O tempo tem sido o maior desafio. Fazer a AMA e manter o nosso patrocinador contente enquanto construímos uma moto CRT ao mesmo tempo.”

 

Se forem bem sucedidos, concebes participar no MotoGP a tempo inteiro em 2013?

 

“Esse seria um grande objectivo.”

   

Especificações da Moto:

 

Chassis: APR (Attack Performance Racing) Alumínio “twin spar” maquinado quase totalmente de um só lingote.
Motor: ZX10R
Travões: Brembo Carbono
Suspensão: Öhlins
Potência: + de 220cv
Velocidade Máxima: NA

Mantenha-se ligado ao motogp.com e não perca uma entrevista de fundo com Steve Rapp.

Vídeos:

Ver todos os vídeos deste evento

Últimas notícias

  • MotoGP™
  • Moto2™
  • Moto3™
Publicidade
MotoGP VIP VILLAGE™