Casey Stoner homenageado na "Curva Stoner"

Casey Stoner honoured at Stoner Corner
Quinta, 25 Outubro 2012

O australiano bi-Campeão do Mundo de MotoGP™, Casey Stoner, foi homenageado hoje com uma parte do circuito de Grandes Prémios de Phillip Island, a muito rápida Curva 3 que agora passar a ser conhecida por “Curva Stoner”.

 

O nome anunciado hoje por Andrew Fox, dos donos do circuito Linfox Property Group, é o reconhecimento da sensacional carreira de Stoner na velocidade. O australiano dominou o MotoGP em Phillip Island desde 2007, somando cinco vitórias consecutivas no MotoGP, com a curva três a ter sido o palco de muitas das mais emocionantes manobras do piloto.
 
A sua mestria de Phillip Island, independentemente da máquina – os primeiros quatro triunfos foram com a Ducati e no ano passado venceu aos comandos da Repsol Honda – tem muito a ver, diz Stoner, com coragem pura.
 
"Não foi o tempo em pista que me deu o sucesso porque todos aqueles contra quem corro já cá deram muitas voltas, até mesmo mais que eu,” diz Stoner.
“A única coisa que posso explicar é que por a pista ser muito escorregadia e ter tantas curvas rápidas andar depressa aqui tem muito mais a ver com coragem – o quanto queremos ir ao limite.”
 
"É um local que faz a adrenalina correr e penso que a maior parte dos pilotos dirão que adoram a pista."
 
Stoner, que se retira no final de 2012, vai fazer a última corrida de MotoGP em Phillip Island este domingo, na 17ª jornada do campeonato.
 
Apesar da lesão no tornozelo contraída em Indianápolis, na 11ª ronda, e que destruiu as suas possibilidades de revalidar o ceptro de MotoGP, o piloto de 27 anos tem os olhos postos no sexto triunfo consecutivo em Phillip Island no domingo – um objectivo reconhecido por Foz durante a cerimónia.
 
"Casey, como tu, pensamos que Phillip Island é um local muito especial no mundo do desporto motorizado. Damos-te os parabéns por tudo o que obtiveste aqui e declaramos que, a partir de hoje, a curva três se passará a chamar Curva Stoner em tua honra,” disse Fox.
 
"Quero dizer Casey que aqui, no meu bolso, tenho outra placa gravada. Apenas uma cópia com uma pequena alteração para o caso de termos de trocar o número de cinco para seis. Seis vitórias, quero dizer. Sou um homem de fé Casey. Faz o teu trabalho no domingo e nós tratamos do troféu!”
 
Stoner junta-se aos nomes ilustres do desporto motorizado australiano – Wayne Gardner, com a Recta Gardner, e Mick Doohan com a Curva Doohan (curva 1) – homenageados no circuito de Vitória.
 
Stoner deu carta branca à família Foz e à gestão de Phillip Island para escolherem que parte do circuito teria o seu nome – e sem hesitação apontaram a Curva 3, a rápida esquerda a descer em que os pilotos de MotoGP rodam a mais de 250 km/h. E a curva é uma constante recordação do sublime talento de Stoner enquanto ele ‘segura’ o pneu traseiro volta após venda.
 
"A curva 3 é talvez a minha preferida em todo o mundo. Vou quase a fundo, em quinta velocidade, ao longo de toda ela e isso é mesmo muito rápido e faz mesmo o sangue correr nas veias, não há dúvidas,” disse Stoner.
 
"Dá-me sempre uma grande emoção fazer esta curva, pelo que ter o meu nome nela em Phillip Island é algo de muito especial. É um grande privilégio.”
 
"A Ilha foi desenhada há 60 anos, antes dos computadores. Acompanha a fluidez do campo. É uma pista clássica e está para lá de todas em que corremos. As curvas de alta velocidade fazem o coração acelerar e há muitas curvas onde se pode derrapar."
 
Stoner completou milhares de voltas aos 4,4 km de Phillip Island em testes e fins-de-semana de corridas ao longo da última década, mas uma passagem em particular pela curva 3 destaca-se de todas as outras para o próprio piloto: a volta de qualificação de 2011.
 
"Com pneus novos e muita aderência fiz a curva 3 e disparei para o meu menor tempo de sempre e depois entrei na recta oposta a acelerar,” disse Stoner.
 
"Os dados da minha Repsol Honda RC213V mostraram que estava a 262 km/h e o ponto mais lento da curva era de 258 km/h. Foi mesmo muito rápido. Estava completamente de lado e tinha a roda frontal a meio do corrector."
 
"Nunca tinha feito a curva tão bem e esse é o momento mais memorável que tenho deste local."
 
Sem partilhar muitos segredos, Casey acredita também que a sua habilidade de preservar os pneus é elemento chave para o sucesso em Phillip Island.
 
"Temos de ser inteligentes com os pneus porque os podemos desgastar muito rapidamente. Faz o meu género, há muitas trajectórias diferentes em todas as curvas e se fizermos sempre o mesmo tipo de trajectória em cada curva não será a forma mais rápida de rodar na pista."
 
O chefe do circuito, Fergus Cameron, que gere o traçado desde 1984, também reconhece os tremendos feitos de Stoner na ilha.
“Este ano celebramos o 60º aniversário e estamos prestes a investir três milhões de dólares em novo asfalto,” disse Cameron.
 
"Em todos estes 60 anos houve apenas dois pilotos que foram reconhecidos desta forma e foram eles que deram vida ao motociclismo internacional na Austrália: o Wayne Gardner, com a Recta Gardner, e o penta-campeão do Mundo Mick Doohan, que tem a Curva Doohan."
 
"O Casey deu luz a Phillip Island e emocionou os fãs vezes sem conta. Damos-te os parabéns e agora com a Curva Stoner as tuas prestações na ilha serão sempre recordadas."
 
Este fim-de-semana será a última vez que Casey Stoner corre no MotoGP na Austrália antes de se retirar em Valência.

Vídeos:

Ver todos os vídeos deste evento

Últimas notícias

  • MotoGP™
  • Moto2™
  • Moto3™
Publicidade
MotoGP VIP VILLAGE™