Spies com muito trabalho pela frente no Qatar

An uphill struggle as Spies heads to Qatar
Quarta, 27 Março 2013

Ben Spies admite que ele e a Pramac Racing Team ainda não têm a moto no ponto que pretendem, isto numa altura em que o arranca da época no Commercial Bank Grande Prémio do Qatar está por dias.

 

Em 2013 o americano passa para a Pramac depois de uma época menos feliz com a Yamaha Factory Racing, formação com a qual viu a sorte fugir-lhe. O pior momento foi mesmo a queda na Malásia da qual ainda está a recuperar.
 
“Ficámos a saber que o meu ombro está mesmo a melhorar um pouco e não lutei com ele, pelo que estou contente com isso e aliviado. Mas ainda não estamos onde queremos estar,” disse Spies ao motogp.com de forma clara.
 
“Não é tão mau como parece, mas temos mesmo de trabalhar arduamente. Pode dizer-se que estamos apenas em cima da moto sem fazer muito mais, por isso quero ser capaz de sentir um pouco mais o que a moto está a fazer. Sabemos que estamos atrasados e que vamos estar assim na primeira corrida, mas as coisas são assim e vamos continuar a dar o máximo.”
 
Esta época a formação italiana conta com dois pilotos; Spies tem como companheiro de equipa o transalpino Andrea Iannone, que veio da Moto2™. No ano passado o único piloto da Pramac era Héctor Barberá, que agora roda com uma CRT da Avintia Blusens.

Vídeos:

Ver todos os vídeos deste evento

Últimas notícias

  • MotoGP™
  • Moto2™
  • Moto3™
Publicidade
Paddock Girls MotoGP VIP VILLAGE™