Aventura de Dovizioso na Ducati começa à sério no Wrooom

Terça, 15 Janeiro 2013

Andrea Dovizioso foi hoje apresentado ao mundo como piloto oficial Ducati no eventual anual da marca de Bolonha, o Wrooom.

 

Dovizioso foi o centro das atenções no primeiro dia completo do evento realizado na estância italiana de esqui de Madonna di Campiglio, onde falou com a imprensa sobre o grande desafio que tem pela frente. O transalpino não teve muita sorte no primeiro contacto com a Desmosedici, sendo vítima de mau tempo em Valência e debatendo-se depois com antiga lesão no pescoço no ensaio de Jerez no final do ano passado.
 
Dovizioso disse: “Tenho uma micro-hérnia no pescoço, entre a C5 e a C6. Tive alguns problemas no Rally de Monza e em Jerez de la Frontera na primeira curva, onde a hérnia bloqueou. Estou bem, apesar de ainda ter a micro fractura. Vou ser alvo de mais alguns tratamentos, mas estarei pronto para a Malásia. A minha primeira impressão da moto, contudo, foi boa. Depois de tudo o que me foi dito esperava uma moto totalmente impossível de pilotar, mas não foi assim. Em Jerez o problema do pescoço fez-me parar, mas agora com seis dias na Malásia haverá tempo para compreender a Ducati.2
 
Sepang será o verdadeiro ponto de partida para a aventura de Dovizioso de vermelho: “O objectivo é simples. Temos de trabalhar para reduzir a diferença. Escolhi este desafio porque sei que me posso dar bem. Tenho de conhecer toda a gente, mas é um projecto a longo prazo e a primeira corrida será pouco focada nos resultados.” Em termos de metodologia de trabalho ele acrescentou: “Não copiará nenhuma moto. Cada moto tem a sua filosofia própria e temos de encontrar todos os pontos positivos da Desmosedici. Muito vai depender do que temos de mudar.”
 
“Temos de estar abertos a quaisquer mudanças. Tendo por base o tempo disponível, vamos fazer as alterações possíveis e necessárias. Não faz sentido falar já a nível técnico porque passei muito pouco tempo aos comandos da Desmosedici. O que é certo é que para a época de 2013 vamos começar com o mesmo material do final do ano passado. Acredito no longo prazo, mas o primeiro ano será especial: temos de compreender a moto e temos de trabalhar principalmente nos fins-de-semana de MotoGP. O primeiro ano será de muito trabalho e de decisão sobre o que fazer para atingirmos resultados importantes.”
 
No que toca à substituição de Valentino Rossi ele disse: “Ocupar o lugar do Valentino é muito especial, mas o facto de ele não ter feito muito com a moto ajuda.”
 
Dovizioso, que vive a apenas 30 km de Borgo Panigale, e que pode ir à fábrica praticamente em qualquer altura, disse: “Posso ser uma grande dor de cabeça para o departamento de competição (risos). Não, a sério, poder trabalhar com os engenheiros que nunca nos vêem porque não viajam, pode ser crucial e funcionará a nosso favor.”
 
Finalmente, Dovi falou também sobre o novo companheiro de equipa Nicky Hayden: "O Nicky foi sempre um piloto calmo e correcto. Temos um carácter muito semelhante e se houver desejo de trabalhar em conjunto e colaborar, serei o primeiro a partilhar informação com ele. Ele é uma boa pessoa e não há muitos pilotos desses no mundo."

Vídeos:

Ver todos os vídeos deste evento

Fotos:

Abrir mais notícias

Últimas notícias

  • MotoGP™
  • Moto2™
  • Moto3™
Publicidade
MotoGP VIP VILLAGE™