Honda revê época de 2012

Segunda, 19 Novembro 2012

O programa de testes de MotoGP da Honda durante o defeso teve início em Valência com os novos companheiros de equipa na Repsol Honda, Dani Pedrosa e Marc Marquez, a fazerem as primeiras voltas pós 2012 aos comandos das suas RC213V. Com os preparativos para 2013 já em andamento, a Honda olha para a época de 2012 e os seus muitos sucessos.

 

Apesar da Honda não ter conquistado o Campeonato do Mundo de Pilotos, a marca venceu 12 das 18 corridas do ano e assegurou o título de Campeã do Mundo de Construtores pelo segundo ano consecutivo e por um recorde de 19 vezes no total. O sucesso representou a 61ª coroa da Honda em todas as classes de Grandes Prémios, outro recorde.
 
A Honda conquistou o título de Construtores de MotoGP de 2012 graças ao árduo trabalho dos seu brilhantes engenheiros da HRC e da fantástica pilotagem das estrelas da Repsol Honda Dani Pedrosa e Casey Stoner. Pedrosa venceu sete corridas com a RC213V para terminar em segundo no Campeonato de Pilotos, enquanto o Campeão do Mundo de 2011 Casey Stoner venceu cinco, apesar de ter falhado três por lesão, para terminar o ano em terceiro.
 
“Revalidar o título de Construtores, o nosso 61º, é um feito magnífico e é crédito à nossa dedicada equipa e talentosos pilotos,” disse Tetsuo Suzuki, Presidente da HRC e Senior Managing Officer e Director da Honda R&D Co Ltd. "Este segundo título consecutivo é testemunho que a HRC está mais forte que nunca. Infelizmente o Dani falhou o título de Pilotos por muito pouco. Ele lutou até ao final e damos os parabéns ao Jorge Lorenzo numa época muito forte. Temos pena de dizer adeus ao nosso Campeão de 2011, o Casey, e desejamos-lhe o melhor para o futuro. Tenho de agradecer a todos os nossos patrocinadores e parceiros técnicos pelo permanente e importante apoio e ideias, e agradecer também a todos os nossos fãs espalhados pelo mundo. Esperamos repetir esta vitória outra vez na próxima temporada!”
 
A Honda venceu a coroa de Construtores da categoria rainha com seis máquinas diferentes, todas elas a mostrarem a garra e dedicação da companhia no que toca a engenharia de excelência. A arrefecida a ar RC181 quatro cilíndros 4 tempos deu à Honda o primeiro campeonato em 1966. Após uma década de fora dos GPs, a Honda voltou a ganhar o título em 1983 com a brilhante e fiável NS500 2 tempos. A então dominadora NSR500 2 tempos garantiu a coroa por 11 vezes. Na era das 4 tempos do MotoGP a Honda venceu o título com a RC211V 990cc V5, a RC212V 800cc V4 e agora com a RC213V 1000cc V4.
 
Pedrosa e Stoner não foram os únicos pilotos de MotoGP da Honda a impressionar em 2012. Dois estreantes também mostraram grandes qualidades com a RC213V: Álvaro Bautista (San Carlo Honda Gresini RC213V) garantiu a primeira pole de MotoGP e assinou dois pódios, enquanto o Estreante do Ano Stefan Bradl (LCR Honda MotoGP RC213V) mostrou grande velocidade e inteligência na sua primeira temporada na categoria.
 
Durante 2012 a Honda também continuou a apoiar o Campeonato do Mundo de Moto2, que conta com a potência do ligeiramente alterado motor das CBR600RR de estrada. Na sua terceira época, a Moto2 continuou a oferecer corridas emocionantes graças regulamentos técnicos estritos que obrigam os pilotos a usar motores controlados e outros componentes para prestações niveladas. Com máquinas tão iguais, a Moto2 coloca o ónus no talento.
 
O título de 2012 da Moto2 foi para o brilhante adolescente Márquez (Team CatalunyaCaixa Repsol-Suter), que agora substitui Stoner na Repsol Honda. Márquez mostrou a sua classe ao vencer nove das 17 corridas de Moto2 do ano. O espanhol venceu o título com 56 pontos de vantagem sobre o compatriota Pol Espargaró (Pons 40 HP Tuenti-Kalex).
 
Após o sucesso do envolvimento da Honda na Moto2 desde 2010, a série vai continuar a usar os blocos CBR600RR por mais três anos.
 
Enquanto o envolvimento da Honda na Moto2 continuou em 2012, a fábrica abraçou também de forma entusiasta o novo Campeonato do Mundo de Moto3 com a sua NSF250R 4 tempos. A Honda não faz correr formação oficial na Moto3, optando por tratar do maior número possível de pilotos em pé de igualdade.
 
A NSF250R foi uma das máquinas mais populares da grelha de Moto3, com alguns pilotos a correrem com o motor NSF em chassis padrão da Honda, e outros a optarem por montar os blocos em quadros FTR, Suter e TSR.
 
A Honda somou sete vitórias nas 17 corridas da Moto3: Maverick Viñales (Blusens Avintia FTR Honda) conquistou cinco, enquanto Romano Fenati (Team Italia FMI FTR Honda) e Louis Rossi (Racing Team Germany Honda) venceram uma cada um.
TAGS 2013

Vídeos:

Ver todos os vídeos deste evento

Fotos:

Abrir mais notícias

Últimas notícias

  • MotoGP™
  • Moto2™
  • Moto3™
Publicidade
Paddock Girls MotoGP VIP VILLAGE™