Progressos de Pedrosa afectados por dores no pescoço

Pedrosa progress delayed by neck pain
Sexta, 15 Março 2013

Dani Pedrosa decidiu reduzir a carga de trabalho no Circuito das Américas na quinta-feira, completando o terceiro e último dia do teste privado com apenas 24 voltas. Ainda por descobrir estão os motivos das dores de pescoço do espanhol.

 

Com o companheiro de equipa Marc Márquez a fazer 60 voltas para assinar o melhor tempo em 2m03,281s, Pedrosa só conseguiu fazer um terço da distância e – incapaz de puxar ao máximo – terminou o dia a seis décimos de segundo.
 
“Na minha primeira tirada tive um problema com o pescoço,” explicou Pedrosa ao motogp.com. “Não sei porquê, mas de repente senti dores e depois foi piorando a cada volta, pelo que optei por parar o teste porque não seria bom continuar.”
 
“Estou contente por ter feito tantas voltas, pelo que compreendo a pista um pouco e isso é importante para o Grande Prémio. É claro que o tempo pode estar um pouco diferente nessa altura, mas foi uma boa experiência.”
 
Márquez mostrou-se mais contente; o estreante dominou os três dias de teste num circuito totalmente novo para a maioria dos presentes.
 
“Este último dia foi bom para mim,” disse o jovem de 20 anos. “Desde o início a moto ofereceu as mesmas sensações de ontem e começámos a testar algumas coisas que o pessoal técnico tinha em mente. Consegui grandes melhoramentos.”
 
“Creio que é muito importante estar aqui, não apenas porque vamos estar aqui para a segunda corrida, mas também pelas condições físicas porque lutei um pouco nesta pista e tenho de puxar forte no que toca à mudança de direcção nas primeiras chicanes. Mais importante, estivemos cá, conhecemos a pista e encontrámos boa afinação de base para quando voltarmos para a segunda jornada.”
 
O terceiro dia terminou com Stefan Bradl, da LCR Honda MotoGP, na terceira posição depois da Yamaha Factory Racing ter partido no final de quarta-feira.
 

Últimas notícias

  • MotoGP™
  • Moto2™
  • Moto3™
Publicidade
Paddock Girls MotoGP VIP VILLAGE™