Teste de Valência termina com Márquez a brilhar na estreia

Quarta, 14 Novembro 2012

O segundo dia de testes teve um início algo lento com a pista molhada a travar a saída das boxes da maior parte dos pilotos ainda assim, ao cabo de duas horas a linha de piso seco levou Dani Pedrosa a estabelecer a melhor marca do dia e com todos os estreantes do MotoGP™ a fazerem as respectivas estreias.

Marc Márquez, da Repsol Honda Team, uma das mais esperadas trocas do ano, causou impacto imediato no primeiro contacto com uma máquina de MotoGP™ ao assinar a sétima marca do dia, a pouco mais de um segundo do topo. O seu companheiro de equipa Dani Pedrosa, que foi o primeiro em pista com pneus slick, avaliou a Honda de 2013 em comparação com aquela que usou na corrida do passado domingo. Ele foi o mais lesto do dia com 1m32,322s.

 
O novato da Ducati Team, Andrea Dovizioso, continuou a acostumar-se com a Desmosedici neste segundo dia de trabalho, terminando em sexto, enquanto o companheiro de equipa Nicky Hayden testou novos componentes e afinações de chassis, terminando a sessão em quarto. Andrea Iannone, da Pramac Ducati, tinha sido um dos pilotos a aventurar-se no molhado durante a manhã e continuou depois o processo de habituação durante a tarde, terminando o ensaio em nono. O novo piloto de testes da Ducati, Michele Pirro, apresentou-se com bom ritmo a rodar no lugar do lesionado Ben Spies para terminar em oitavo depois da pista ter secado.
 
Bradley Smith, da Monster Yamaha Tech 3, foi o primeiro estreante a ir para a pista esta manhã para rodar com a Yamaha M1. O britânico mostrou-se contente com a sua primeira tirada e terminou a tarde em 11º, a pouco mais de dois segundos da frente. O seu companheiro de equipa Cal Crutchlow, ainda a recuperar de lesão contraída na mão em resultado de queda no fim-de-semana, foi para a pista a uma hora do final da sessão para avaliar pequenas actualizações da sua Yamaha, terminando em segundo da geral.
 
Álvaro Gresini, da Go & Fun Honda Gresini, ficou contente com o facto da pista ter secado a tempo, já que o espanhol tinha como objectivo comparar a máquina de 2012 com a versão actualizada e com alguns novos componentes. Por seu turno, Stefan Bradl, da LCR Honda MotoGP, rodou com máquina semelhante à de Pedrosa, o novo modelo de 2013, onde a única diferença de monta é o pacote de electrónica. Contudo, foi anunciado hoje que o germânico vai continuar com a sua actual equipa também em 2014, se bem que com uma moto “totalmente de fábrica”. Bautista foi quinto e Bradl terceiro.
 
Aleix Espargaró, da Power Electronics Aspar, foi um dos pilotos mais atarefados em pista durante a manhã, enquanto o companheiro de equipa Randy de Puniet se mostrou mais activo durante a tarde, no seco. Ambos deram continuidade ao trabalho nos seus respectivos chassis. Espargaró terminou o dia em 15º e De Puniet em 10º. Danilo Petrucci, da Came IodaRacing Project, logrou iniciar o trabalho com o novo chassis Suter nas últimas horas do testes, mas comentou que a equipa poderá aproveitar a introdução de electrónica padrão no próximo ano para trocar para esta. Petrucci foi 13º no final do teste.
 
Hiroshi Aoyama, da Avintia Blusens, decidiu não rodar hoje e vai voltar à pista em Jerez no final do mês para mais um teste, enquanto Héctor Barberá continuou a fazer voltas para se acostumar à nova BQR-FTR. Ele terminou com o 14º tempo. Os pilotos da NGM Mobile Forward Racing, Colin Edwards e Claudio Corti, decidiram não ir para a pista.
 
Já a dupla da Yamaha Factory Racing, Jorge Lorenzo e Valentino Rossi, tiveram sessão difícil no seu primeiro dia de trabalho em Aragão, marcado por chuva e por uma queda de Lorenzo. Felizmente o espanhol saiu ileso do contratempo. No final Rossi disse estar contente com a moto e, tirando o aumento de potência, considerou não ter havido muitas alterações desde que rodou com a 800cc pela última vez em 2010.

Vídeos:

Ver todos os vídeos deste evento

Fotos:

Abrir mais notícias

Últimas notícias

  • MotoGP™
  • Moto2™
  • Moto3™
Publicidade
Paddock Girls MotoGP VIP VILLAGE™