Crutchlow fala da evolução da Ducati e do futuro de Lorenzo

Segunda, 20 Janeiro 2014

Antes da estreia em corridas com a Ducati esta época o britânico Cal Crutchlow passou o Inverno a trabalhar arduamente na Califórnia – preparando-se para os testes de pré-época e para a primeira jornada de 2014 no Qatar.

Ele falou com o motogp.com sobre o que tem feito nas últimas semanas, o seu casamento e lua de mel, a evolução da Ducati Desmosedici e a recente especulação na imprensa sobre o futuro do seu amigo e rival Jorge Lorenzo.

Descrevendo o Inverno até ao momento, Crutchlow explicou: “Duas semanas depois da última corrida em Valência viemos para a Califórnia. No início de Janeiro casámo-nos em La Hoya; foi um dia perfeito. Para mim o ponto alto do ano e estamos muito animados com o futuro a dois.”

No que toca ao dia passado a construir uma casa em conjunto com a mulher Lucy durante a lua de mel no México, Crutchlow comentou: “Conhecemos o projecto através de um amigo, era uma grande oportunidade e aceitámos. ‘Homes of Hope’ e ‘Do More Than Sport’. Passámos uns tempos fantásticos a viajar e temos a sorte de termos o estilo de vida que temos, pelo que queríamos far algo aos que têm menos sorte que nós. Foi uma experiência enriquecedora. Para as pessoas para quem construímos, as suas famílias significam tudo e agora têm uma casa como deve ser.”

Descrevendo a sua preparação física quando não está aos comandos de um protótipo de MotoPG™ disse: “Não tem nada de especial, a não ser correr e fazer ciclismo. Não posso ir ao ginásio porque assim que o faço começo a ganhar músculo e peso. Os tipos mais leves têm uma vantagem no MotoGP, pelo que tenho de ter cuidado porque já sou um dos mais pesados.”

“Quanto mais velhos estamos mais difícil é perder peso. A minha percentagem de gordura corporal neste momento ronda os 8%, o que é perfeito para viajar e para correr no MotoGP. Faço o que posso e estou contente com o trabalho físico que tenho feito. Tenho muitos amigos que vêem para a Califórnia treinar, são ciclistas profissionais e passamos uns bons tempos nas bicicletas. Dias longos, duros. Não há dúvidas, o MotoGP é um desporto muito físico.”

Antevendo o regresso aos testes em Sepang no início de Fevereiro e a sua comunicação com a Ducati no que toca aos desenvolvimentos sofridos pela Desmocedici durante o Inverno, o piloto de 28 anos disse: “O primeiro teste vai ser um shakedown, principalmente depois de tanto tempo afastado da moto. Rodar na Malásia durante três dias não é fácil. Por isso, tenho de recuperar a forma.”

“Acabei de falar ao telefone com o Gigi (Luigi Dall’Igna – Director Geral da Ducati Corse). A comunicação é fundamental. Falei com o Daniele Romagnoli dia sim, dia não para me manter ao corrente de tudo o que se passa. Mas não vos vou dizer os planos porque isso faz parte de correr no MotoGP! Quanto à história da classe “Open” ainda não sei nada, pelo que ao que sei estou a correr com uma máquina de MotoGP para a Ducati.”

Quando questionado sobre o pensa dos rumores que falam de uma aproximação da Ducati a Lorenzo para esto rodar com a equipa a partir de 2015, e apesar da Yamaha e do próprio Lorenzo já o terem desmentido, Crutchlow comentou: “Acredito que talvez haja alguma verdade nisso. Como o Jorge já disse, todos os construtores vão falar com ele. É claro que o Lin (Jarvis – Director da Yamaha Factory Racing) vai negar tudo porque ele quer continuar com o Jorge. Espero que ele (Lorenzo) tome a decisão certa.”

“Seria uma grande mudança para ele vir para a Ducati, mas não sei nada do assunto. Os melhores tipos a quem perguntar são os patrões dos construtores. É claro que o Jorge também o vai negar, ele quer falar com o construtor com quem está neste momento. Se ele vier para a Ducati em 2015, enquanto eu cá estiver, não me afectaria minimamente, mas ele traria muitos dados e muita velocidade.”

Vídeos:

Ver todos os vídeos deste evento

Fotos:

Abrir mais notícias

Últimas notícias

  • MotoGP™
  • Moto2™
  • Moto3™
Publicidade
Paddock Girls MotoGP VIP VILLAGE™