Quinto e sexto para Dovizioso e Crutchlow

Ducati Team Qatar Race Review
Segunda, 24 Março 2014

Andrea Dovizioso e Cal Crutchlow terminaram nas quinta e sexta posições no Qatar, respectivamente, com Dovizioso a apontar a redução da diferença para os da frente como sinal positivo, enquanto Crutchlow descreveu a estreia com a Ducati como “agri-doce”.

Depois de ter partido da segunda linha da grelha, Dovizioso perdeu alguns lugares na luta pelas melhores posições nas primeiras voltas, mas graças à consistência apresentada e às quedas à sua frente logrou terminar em quinto.
 
Mas para ele, que fez anos no dia da corrida, o importante foram os progressos feitos no que toca a reduzir a diferença para o vencedor Marc Márquez para pouco mais de 12 segundos. No ano passado Dovizioso terminou a corrida em sétimo e a mais de 24 segundos do vencedor de 2013, Jorge Lorenzo.
 
“Temos de olhar para os aspectos positivos deste resultado porque em termos de campeonato o quinto lugar é sempre importante,” disse Dovizioso. “Mas outro objectivo importante para nós era reduzir a diferença para o primeiro e conseguimos reduzir essa margem para metade em comparação com o ano passado – mais um facto importante. Ainda temos de compreender problemas que condicionam a nossa prestação na corrida, mas estou contente com o progresso conseguido até agora, mesmo tendo ainda de trabalhar muito para melhorar a nossa moto.”
 
O colega de equipa Crutchlow, que se estreou aos comandos da Desmosedici GP14, sentiu problemas na corrida. O britânico, que partiu da terceira linha da grelha, teve dificuldades com o transponder da moto moto ao cabo de algumas voltas, o que lhe afectou a corrida. O problema agravou-se nos momentos finais e levou-o a debater-se nas últimas voltas; mesmo assim conseguiu cruzar a linha de meta em sexto.
 
“Foi uma corrida agri-doce,” admitiu o homem de Coventry. “Terminar em sexto é um bom resultado; tinha de retribuir à equipa com um bom resultado por todo o árduo trabalho levado a cabo após o warm up, quando caí. Na corrida, a partir da quinta volta, tivemos um problema electrónico: o transponder não estava a funcionar, o painel de informações apagou-se e depois a moto começou a ter um comportamento estranho.”
 
“Fiquei contente por ter sido competitivo até metade da prova com o Aleix (Espargaró) e o Dovi, mas lutei para terminar a corrida porque o problema agravou-se no final. Contudo, foi importante fazer toda a corrida para a Ducati e sair daqui em boa forma.”

Últimas notícias

  • MotoGP™
  • Moto2™
  • Moto3™
Publicidade
MotoGP VIP VILLAGE™