Alterações de geometria ajudam Redding a bater Hayden

Quinta, 27 Março 2014

Scott Redding impressionou na estreia no MotoGP™ na noite de domingo, no Qatar, ao terminar a primeira corrida na categoria rainha como líder entre os representantes das nova Honda RCV1000R. Parece que as alterações de afinação deram frutos.

O vice-Campeão do Mundo de MotoGP™ de 2013, Redding, está agora na categoria rainha com a moto Open da GO&FUN Honda Gresini. Ele usa uma das quatro RCV1000R que fazem parte do pelotão; as outras pertencem a Karel Abraham, Cardion AB Motoracing, bem como os pilotos da Drive M7 Aspar, Hiroshi Aoyama e Hayden, com o Campeão do Mundo de 2006 a ser o piloto que Redding tinha apontado como “alvo” desde a pré-época.
 
“Estou mesmo contente com a corrida,” sorriu Redding. “Sabia que tínhamos ritmo semelhante nos testes, mas (o Hayden) este rápido este fim-de-semana – em particular em volta lançada. Pensei: ‘Se conseguir manter-me com ele durante cinco ou seis voltas e ver algumas coisas ficarei contente’.”
 
“No final, senti-me mais forte que ele e aprendi muito com ele na corrida; este tipo não é lento… é um lutador e estava a puxar forte. Conseguir segui-lo e ver todas as pequenas coisas foi muito bom e ajudou-me muito, mas lutar com ele e terminar à frente foi fantástico. Fiquei mesmo contente. Apenas um pequeno bónus para o fim-de-semana.”
 
O jovem de 21 anos de Gloucestershire começou o fim-de-semana em 19º, na primeira sessão de treinos de quinta-feira. No final da terceira sessão de livres, na sexta-feira, já tinha reduzido a sua melhor marca em segundo e meio e acabou por se qualificar em 16º na grelha. Isto surgiu após algumas notáveis alterações na configuração da moto.
 
“Durante os treinos trabalhámos na afinação do chassis, procurámos melhores sensações com a frente,” explica Diego Gubellini, Chefe de Equipa de Redding. “Já tínhamos preparo uma moto – a segunda de Redding – com uma distância entre eixos mais curta, o que conseguimos aproximando a roda dianteira e traseira, mantendo o mesmo equilíbrio de peso da outra moto. Tentámos isso por acaso durante a Qualificação 1, após um problema com um sensor na roda frontal da moto número um, a mesma que estávamos a usar desde o início do fim-de-semana e até esse momento.”
 
“O Scott gostou logo desta geometria diferente; na verdade, ajudou-o a reduzir os problemas de sensações que tinha com a frente e, em resultado disso, melhorou os tempos por volta em cerca de meio segundo. Para terminar, fiquei surpreso com a estratégia adoptada pelo Scott na corrida: muito agressivo nos momentos iniciais, depois perto do final trabalhou muito no estilo de pilotagem para poupar os pneus, já que usámos o traseiro de composto macio disponível para as motos Open.”
 
Redding acabou por terminar o primeiro Grande Prémio do ano com nove pontos, batendo Hayden na meta por apenas 35 milésimos de segundo.

Fotos:

Abrir mais notícias

Últimas notícias

  • MotoGP™
  • Moto2™
  • Moto3™
Publicidade
Paddock Girls MotoGP VIP VILLAGE™