Director da equipa de Rins fala sobre a adaptação à nova Honda

Sexta, 4 Abril 2014

A equipa da Estrella Galicia 0,0 mudou para uma máquina Honda Moto3™ antes do Campeonato do Mundo de 2014, o que representou muito trabalho para os mecânicos responsáveis pelas afinações para as corridas de Alex Rins e Alex Marquez.
 

Durante os testes de Inverno, a equipa recebeu as máquinas da Honda para prepararem a nova temporada e, apesar de ainda não terem o ritmo esperado, no Qatar as motas estavam claramente prontas para a competição a sério.
 
Depois do domínio com as KTM em 2013, o desafio de estar competitivo desde a primeira ronda era claro, Rins conseguiu a pole em Losail a 0,152s de Marquez e por quase 0,4s do seu maior adversário numa KTM - Jack Miller, terceiro na grelha.
 
Uma partida fraca fez Rins atrasar-se, mas ficou apenas a 0,5s do pódio, enquanto Marquez falhou a vitória apenas por 0,283s. 
Por isso, como é que a equipa lidou com esta mudança do ponto de vista técnico?
 
O director mecânico Carlos Perez falou com o motogp.com sobre o trabalho desenvolvido nos últimos meses: “Não foi um trabalho fácil durante o Inverno, em parte por causa na nova mota e também porque tivemos muito azar com o tempo em alguns testes. Depois, no caso do Rins, ele aleijou-se na mão e teve de ser operado, por isso só fizemos 1100 km com a mota na pré-temporada”.
 
Perez acrescentou: “Tínhamos um plano claro que cumprimos e a mota evoluiu imenso durante os teste. Tivemos a última versão do motor no último teste de Jerez. Estamos todos muito satisfeitos com o trabalho que a Honda está a fazer e estamos à espera para ver quão competitiva a mota pode ser. Vimos no Qatar que com mais algumas voltas para o piloto e para a equipa que podemos encontrar a melhor afinação para as corridas”.
 
Entretanto, comparando com 2013, quando a equipa mudou de uma Suter Honda para uma KTM, Perez explicou: “Tivemos uma situação parecida no ano passado porque também nos estávamos a adaptar a uma nova mota, apesar de naquela altura termos tido mais tempo para trabalhar na pré-temporada, de qualquer forma tivemos de trabalhar muito no fim-de-semana do Qatar para estarmos prontos para a corrida. Agora temos claramente diferentes argumentos e em alguns circuitos vamos estar em vantagem ou desvantagens dependendo das características das pistas”.
 
Finalmente, questionado sobre a mudança de fabricante um ano antes da alteração dos regulamentos do Moto3 para reduzir a potência dos motores - de 14.000 rpm agora, para 13.500 rpm em 2015 - Perez comentou: “É sempre bom ter experiência com a mota, podemos trabalhar este ano para ver como tudo funciona e no próximo ano vamos ter um novo motor como as novas regras exigem . Por isso, vamos ter mais tempo para trabalhar. Este é um projecto novo que vai demorar algum tempo a funcionar em pleno”.
TAGS 2014

Vídeos:

Ver todos os vídeos deste evento

Fotos:

Abrir mais notícias

Últimas notícias

  • MotoGP™
  • Moto2™
  • Moto3™
Publicidade
Paddock Girls MotoGP VIP VILLAGE™