Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Temporada de 2004 começou em força com os testes de Sepang

Temporada de 2004 começou em força com os testes de Sepang

Temporada de 2004 começou em força com os testes de Sepang

O primeiro ribombar da temporada 2004 de MotoGP foram ouvidos hoje na Malásia e, felizmente, não foi o som de trovoada, relâmpagos ou chuva torrencial a abater-se sobre a região na véspera do primeiro dia de testes privados do ano. O Circuito de Sepang viveu um verdadeiro reboliço no momento em que a pista abriu às 9 horas, com uma manhã solarenga que permitiu aos pilotos trabalhar afincadamente nas suas máquinas sem se preocuparem com os efeitos do tempo na primeira sessão de testes... algo que mudou ao final da tarde quando uma chuva ligeira interrompeu os trabalhos uma hora mais cedo. No entanto, e apesar dos 32º, da humidade e de algumas dificuldades sentidas em pistas, os pilotos estavam, de forma geral, satisfeitos com os resultados.

No contingente da Honda não houve sinal de Alex Barros, apesar de Ramon Forcada, antigo chefe de mecânicos da Honda Pons, e alguns técnicos seleccionados vestidos "à civil" terem sido vistos a espreitar a equipa HRC o que sugere que as línguas deverão fazer mais que falar mal assim que os exércitos de jornalistas começarem a este primeiro dia de trabalho da temporada. Tohru Ukawa, agora no novo papel de piloto de testes da HRC, esteve presente na pista e acabou por ser acompanhado pelos restantes colegas da Honda. Contudo, Ukawa foi o único a ter o privilégio de ser o único a rodar na nova máquina de fábrica Japonesa que, à primeira vista, não revela muito quanto aos pontos onde a Honda poderá ter uma mais valia que lhe permita defender o título perante os seus rivais da Ducati e da Yamaha, pelo menos.

Nicky Hayden efectuou a primeira sessão de testes da pré época – o regresso à acção após a operação ao pulegar. O jovem americano ainda não está a 100 por cento, mas depois de experimentar o novo fato, botas e luvas está já no bom caminho. Também presente esteve o resto da Honda: Max Biaggi e Makoto Tamada, partilhando uma garagem, e o que parecia ser uma harmoniosa parceria entre Sete Gibernau e Colin Edwards.

Shinya Nakano juntou-se pela primeira vez a Alex Hofmann na boxe da Kawasaki, apresentando-se com uma lista verde vertical na parte frontal do seu capacete, mostrando a quem é fiel agora. Nakano deu os primeiros passos na máquina calçada com Bridgestone, que é radicalmente diferente da do ano passado, com o tanque de combustível por baixo do banco de forma a deixar livre espaço vital para um chassis maior, alterações de geometria e equilíbrio, bem como para a retirada das estradas de ar "sorridentes" da parte frontal, que se tinham tornado numa irónica lembrança negativa da fábrica.

Com os problemas de passaporte resolvidos, Kenny Roberts pôde juntar-se a John Hopkins para os testes, o que acabou por fazer com a Bridgestone tivesse mais representantes que a Michelin durante o dia de hoje, com Kousuke Akiyoshi também em pista. As várias versões da Suzuki a rodarem não apresentavam alterações tão drásticas como as Kawasaki, mas é sabido que as principais novidades não estão à vista, particularmente no que respeita ao sistema de gestão do motor, com grandes promessas mesmo antes da temporada começar.

Finalmente, Andrew Pitt fez também uma aparição no teste. Aos comandos de uma azul e amarela da Moriwaki, o australiano, ex-Campeão Mundial de Spuersport, levou a MDF211V para a pista pela primeira vez depois de se ter separado da família da Kawasaki. Pitt espera que o chassis desenhado por Moriwaki, e que alberga o bloco V5 com que a Honda se sagrou Campeã Mundial, o leve a cinco GPs nesta temporada e que lhe traga mais sorte que a Ninja ZX-RR lhe trouxe anteriormente. O primeiro dia de testes decorreu sem grande incidentes, com todos os pilotos a efectuarem bom número de voltas, muitos deles a acostumarem-se tanto ao clima, como aos novos elementos das equipas. Todos os pilotos admitiram estar um pouco ferrugentos no início, mas cedo se habituaram a tudo, com Max Biaggi e Sete Gibernau a serem os pólos das atenções, efectuando tempos oficiosos abaixo do record de corrida de Sepang. Tamada também esteve bem, enquanto Shinya Nakano poderá ainda demorar algum tempo a adaptar-se à nova Kawasaky.

Max Biaggi 2'03.47, 47 laps
Sete Gibernau 2'03.51, 58
Makoto Tamada 2'04.00, 41
Colin Edwards 2'04.26, 51
Nicky Hayden 2'04.72, 57
Shinichi Itoh 2'05.07, 55
Tohru Ukawa 2'05.66, 62
Alex Hofmann 2'06.26, 41
Shinya Nakano 2'06.50, 44
Andrew Pitt 2'07.70, 58

Tags:
MotoGP, 2003

Outras actualizações que o podem interessar ›