Compra de bilhetes
VideoPass purchase

A Ducati Desmosedici D16 GP4 a nú

A Ducati Desmosedici D16 GP4 a nú

A Ducati Desmosedici D16 GP4 a nú

Um ano após uma excitante estreia no campeonato do mundo de MotoGP, a Ducati voltou com uma nova e melhorada versão da impressionante Desmosedici com a qual espera vir a quebrar o domínio da Honda RC211V. A fábrica italiana, que foi capaz de construir uma máquina a quatro tempos que imediatamente se mostrou competitiva graças à sua experiência de 16 corridas e informações recolhidas durante 30 dias de testes privados adquiridos pelo Team Marlboro Ducati durante a época de 2003 com Loris Capirossi, Troy Bayliss e o piloto de testes Vittoriano Guareschi. Na versão de 2004 da máquina, conhecida como D16 GP4, mais de 60% de um total de 915 componentes que compõem a mota são completamente diferentes e não podem ser utilizados na versão anterior. Alterações que o director técnico da Ducati Corse, Filippo Preziosi, acredita irão aumentar a competitividade geral da Desmosedici.

"A experiência que conseguimos alcançar em 2003 foi fundamental na concepção da GP4", explica Preziosi. "Com o objectivo de melhorar a performance geral da mota e o conforto do piloto, interviemos em várias áreas do chassis e motor. O resultado é uma grande evolução em relação à mota do ano passado. Trata-se de um projecto muito novo e é natural que nesta fase as alterações levadas a cabo façam com que a GP4 seja bastante diferente da GP3, não obstante mantendo-se fiel à filosofia de base."

A D16 GP4 tem inúmeras diferenças nas seguintes áreas:

Carnagem: Embora similar à versão anterior, a carnagem foi completamente redesenhada com o intuito de melhorar o arrefecimento mantendo as suas excelentes características aerodinâmicas. Paralelamente, é composta por quatro componentes em vez de dois para permitir um melhor acesso por parte da equipa de mecânicos.

Guarda-lamas frontal: Um novo guarda-lamas frontal que melhora a aerodinâmica e aumenta o fluxo de ar para o radiador.

Forqueta frontal: A forqueta frontal mantém a rigidez da última versão de 2003, mas utiliza forquetas de 42mm em vez de 50mm, permitindo ganhos em termos de peso.

Escape: O escape é produzido em titânio, tendo sido completamente redesenhado. Suporta duas ponteiras "dois em um" com um arranjo vertical de cabeça do cilindro e terminando sobre uma unidade de cauda igual à do ano passado, na melhor tradição Ducati. O arranjo do cilindro horizontal termina à direita da carnagem. A nova configuração do escape permitiu modificações ao nível do tanque de combustível, tendo sido desenhado para melhorar a entrega da potência.

Tanque de combustível: Aumenta o banco por forma a centralizar as massas. Suporta um acrescento na parte frontal que contem os componentes eléctricos. Esta modificação foi igualmente feita para centralizar as massas.

Braço oscilante: Em alumínio prensado, foi totalmente redesenhado, sendo mais leve do que o da anterior versão, mas mantendo a mesma rigidez.

Quadro: Quadro em aço tubular, típico das Ducati de produção. A versão de 2004 é diferente na montagem do motor, fazendo com que seja mais fácil a assemblagem e remoção do motor. As dimensões são iguais às da versão de 2003.

Caixa de Ar: A Caixa de ar é maior do que a da versão anterior, contribuindo assim para um aumento de potência e uma diferença na curva de binário.

Motor: O motor tem uma nova cambota e um sem número de alterações foram feitas para reduzir o atrito. Mais alterações foram igualmente feitas para reduzir o peso. O resultado é mais potência (agora com um excesso de 230 CV às 16,500 rpm, um aumento de cerca de 10 CV e 500 rpm em relação à versão de 2003).

Electrónica: Material electrónico da Magneti Marelli do mesmo modo do que a versão de 2003 mas com novo software desenvolvido à medida.

"Todos os parceiros tecnológicos com os quais estamos em contacto todos os dias contribuíram de forma decisiva no desenvolvimento e aumento da potência da Desmosedici", continua Preziosi. " Para mencionar apenas dois, Shell Advance, com quem em conjunto desenvolvemos lubrificantes capazes de melhorar a performance e fiabilidade do nosso motor e a Michelin, com quem, além de outras coisas, estamos a desenvolver pneus da frente de 16.5'', que têm vindo a ser utilizados com sucesso desde há muitos anos pela Ducati Corse nas Superbikes".

Esta evolução irá continuar ao longo da época nos bancos de ensaio e nos computadores da Ducati Corse, garantindo, não só uma contínua melhoria da performance mas também um aumento constante do know-how da Ducati, que será utilizado no desenvolvimento de motas de estrada.

Especificações técnicas da DUCATI DESMOSEDICI

Motor: refrigerado a água, 90 graus V4 quatro tempos, desmodromic DOHC, quarto válvulas por cilindro.

Capacidade: 989cc

Potência Máxima: 169kW/230+ CV às 16500rpm

Binário Máximo: approx. 100Nm/10.2kgm às 14000rpm

Velocidade Máxima: 330 kmh/205 mph

Transmissão: Caixa de velocidades de seis velocidades, com ratios alternativos disponíveis.

Carburação: Injecção electrónica indirecta da Magneti Marelli, quarto corpos com injectores por cima da válvulas "butterfly".

Combustível: Shell Racing V-Power

Lubrificante: Shell Advance Ultra 4

Ignição: Magneti Marelli

Escape: Termignoni, dois distemas "dois em um"

Quadro: Chassis tubular em aço. Braço oscilante em alumínio prensado.

Suspenssão: Forquetas frontais invertidas de 42mm e amortecedores traseiros da Öhlins.

Pneus: Michelin, de 17" ou 16.5" frontais, 16.5" traseiros.

Travões: Brembo, dois discos de carbono frontais 320mm com 4 pistons. Disco traseiro com dois pistons.

Peso: 148kg

Tags:
MotoGP, 2003

Outras actualizações que o podem interessar ›