Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Hayden marca o ritmo num dia escaldante em Sepang

Hayden marca o ritmo num dia escaldante em Sepang

Hayden marca o ritmo num dia escaldante em Sepang

O céu azul voltou a marcar presença no último dia de testes em Sepang, dando aos pilotos excelentes condições para rodarem nos 5.542 quilómetros da pista malaia. Nicky Hayden estava ainda mais sorridente que o habitual. O campeão dos sorrisos e metade da equipa Repsol Honda fizeram as malas antes da uma da tarde, dando os trabalhos por terminados e demonstrando-se prontos para rumarem à Austrália. O piloto tinha boas razões para estar satisfeito, já que rodou nuns impressionantes 2m02,041s, um tempo efectuado no início de uma simulação de corrida, mas que ficou bem abaixo dos da concorrência.

"Seria fácil mostrar-me tranquilo e afirmar que não estou satisfeito com este tempo muito rápido, mas a verdade é que estou. Não posso mentir! Estou muito excitado. Mas este é um teste de que não podemos esquecer," afirmou a estrela natural do Kentucky, que bateu a sua melhor marca em cerca de oito décimos. O tempo de Hayden despertou a atenção de todo o paddock, mas é preciso ter em conta que foi estabelecido durante a manhã, quando as temperaturas ainda estavam baixas. "Fizemos grandes progressos, especialmente com a Michelin," continuou. "Os pneus de 16,5 polegadas agora estão muito bons. Sinto-me muito confiante com eles e consigo chegar mais perto do limite. A minha experiência permite-me não me preocupar muito com o facto da traseira estar um pouco solta. Só agora consegui sentir-me bem com os pneus frontais."

Tirando o seu companheiro de equipa Alex Barros, todos os pilotos da Honda rodaram abaixo do segundo 03, o mesmo acontecendo com Valentino Rossi da Gauloises Fortuna Yamaha. O trabalho foi acalmando gradualmente depois de Hayden parar de rodar, enquanto outros pilotos se viram obrigados a terminar os trabalhos conforme os pneus, ou as peças, se esgotavam. Como é natural, os pilotos da Honda estavam satisfeitos com os resultados, algo que já não se pode dizer de todos os homens da Yamaha. Rossi e Checa conseguiram fazer melhoramentos nas suas máquinas, mas Melandri e Abe continuaram a deparar-se com problemas, isto apesar de terem apresentado tempos melhores.

A Ducati, mesmo com melhorias no cronómetro, teve mais uma jornada difícil. Troy Baylis viu-se obrigado a parar durante três horas com problemas graves na moto à semelhança do que já havia acontecido com Neil Hodgson. Ainda assim, os dois pilotos efectuaram várias voltas ao traçado de Sepang até que o seu colega de equipa Rubens Xaus voltou a queixar-se de problemas eléctricos na sua máquina. Um problema que já tinha sentido nos dois primeiros dias de testes e que o deixou visivelmente frustrado com o azar da equipa.

A Suzuki, a Kawasaki e a Moriwaki não acompanharão as restantes equipas para mais uma sessão de testes na Austrália, isto apesar das duas primeiras terem agendada uma sessão a partir de 23 de Fevereiro. Ambas apresentaram melhorias na performance, mas viram os trabalhos terminar mais cedo devido à Bridgestone ter ficado sem material para testar. A Aprilia, ao contrário da Suzuki que rodou sem Kenny Roberts, contou com Bryne e McWilliams, apesar deste último ainda se estar a refazer do acidente de ontem. Ainda assim, a marca italiana teve de se esforçar muito para recuperar o tempo perdido para a concorrência.

A acção segue agora para a Austrália, onde a Honda, Yamaha, Ducati e Aprilia vão testar no circuito de Phillip Island, em Vitória, a partir de 17 de Fevereiro.

Tempos oficiosos fornecidos pelos Circuito Internacional de Sepang

Nicky Hayden (Honda) – 2'02.041
Max Biaggi (Honda) – 2'02.108
Sete Gibernau (Honda) – 2'02.496
Colin Edwards (Honda) – 2'02.597
Valentino Rossi (Yamaha) – 2'02.746
Makoto Tamada (Honda) – 2'02.962
Carlos Checa (Yamaha) – 2'03.100
Loris Capirossi (Ducati) – 2'03.530
Troy Bayliss (Ducati) – 2'03.554
Alex Barros (Honda) – 2'03.558
Kousuke Akiyoshi (Suzuki) – 2'03.729
Shinichi Itoh (Honda) – 2'04.076
Shinya Nakano (Kawasaki) – 2'04.625
Neil Hodgson (Ducati) – 2'04.674
Marco Melandri (Yamaha) – 2'04.753
Gregorio Lavilla (Suzuki) – 2'05.756
Alex Hofmann (Kawasaki)– 2'04.817
Ruben Xaus (Ducati) – 2'04.929
Norick Abe (Yamaha) – 2'05.059
Shane Byrne (Aprilia) – 2'05.150
Jeremy McWilliams (Aprilia) – 2'06.574
Andrew Pitt (Moriwaki) – 2'06.912.

Tags:
MotoGP, 2003, Nicky Hayden

Outras actualizações que o podem interessar ›