Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Rossi brilha na neblina de Jerez

Rossi brilha na neblina de Jerez

Rossi brilha na neblina de Jerez

Apesar de perderem um dia e meio a testar sob a chuva catalã no passado fim-de-semana, a última coisa que as equipas de MotoGP queriam era serem brindadas pelos mesmos aguaceiros que levaram à interrupção das sessões oficiais das categorias 125 e 250 no início desta semana. Na segunda sessão oficial de MotoGP, já no sul de Espanha, a chuva que se verificou durante a noite impediu que os pilotos rodassem com pista seca durante a manhã de hoje, apesar de já não chover. Ainda que alguns tenham tentado rodar em condições intermédias, somente a partir das três da tarde é que o traçado andaluzo se encontrou totalmente seco.

Como era esperado, uma vez que os pilotos poderiam levar as suas máquinas ao limite, o ambiente aqueceu bastante e, com todas as equipas presentes excepto a Aprilia, assistiu-se a uma verdadeira batalha campal pelo melhor tempo do dia. Após surpreender muitos com a sua prestação na Catalunha, onde se cotou como o mais rápido aos comandos da sua Yamaha, Valentino Rossi quer provar que, não só isso não foi obra do acaso como a sua transferência da Honda para a sua principal rival lhe permitirá sagrar-se novamente Campeão do Mundo de MotoGP. O Campeão em título foi o primeiro piloto a rodar abaixo do record da pista hoje e, aproveitando as potencialidades da sua nova Yamaha M1, fechou o dia com o tempo de 1m42,656s, 0,132 segundos melhor que o seu record pessoal para este traçado.

A meio da tarde o aparecimento da chuva interrompeu os trabalhos, impedindo qualquer resposta por parte da concorrência, e deixando o italiano com larga margem sobre o restante pelotão. Uma surpresa foi o segundo tempo de Kenny Roberts, provando o enorme passo em frente dado pela Suzuki e pela Bridgestone durante o inverno. A corroborar este facto, não só a marca colocava o Campeão Mundial de 500 cc de 2000 em segundo, como o seu companheiro de equipa, John Hopkins – ainda a recuperar de uma lesão no tornozelo –, averbava a sexta melhor marca do dia.

Colin Edwards foi o mais rápido entre os pilotos da Honda com o terceiro tempo, ao passo que Carlos Checa confirmou bom trabalho de desenvolvimento da Yamaha com o quarto posto, diante do seu ex-companheiro de equipa, Alex Barros que regressou à Honda durante a época de defeso. O novo ponta-de-lança da Kawasaki, o nipónico Shinya Nakano, revelou-se o sétimo mais rápido do dia, recolhendo dividendos do árduo trabalho de inverno. O top-ten ficou completo com um trio de Honda pilotadas por Sete Gibernau, Nicky Hayden e Makoto Tamada, ficando o Tetra_Campeão Mundial de 250cc, Max Biaggi, apenas em 11º, também em Honda.

Hoje foi a vez dos pilotos da Ducati passarem por dificuldades, com o Campeão de Superbikes Neil Hodgson aos comandos da sua Desmosedici a ser o mais veloz entre as máquinas italianas, mas apenas 13º atrás da Kawasaki de Alex Hofmann. Tanto Loris Capirossi como Troy Bayliss não foram além de 16º e 17º, respectivamente, enquanto desenvolvem a versão 2004 da Ducati.

Os testes oficiais continuarão amanhã no circuito de Jerez, com a previsão de mais chuva durante o dia, embora as equipas estejam esperançadas de conseguir rodar pelo menos tanto quanto hoje, para aproveitarem ao máximo esta sessão antes do arranque da temporada em Welkom a 18 de Abril.

Tags:
MotoGP, 2004

Outras actualizações que o podem interessar ›