Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Pilotos locais sob pressão para vencer

Pilotos locais sob pressão para vencer

Pilotos locais sob pressão para vencer

Sete Gibernau, Carlos Checa e Ruben Xaus vão pilotar em frente do próprio público sabendo que têm, quase obrigatoriamente, que vencer num traçado que reúne um dos eventos mais importantes do calendário desportivo do país. Os esperados 125 mil espectadores nas bancadas do autodromo andaluz não vão deixar de "exigir" a vitória, depois dos primeiros lugares de Alberto Puig em 1995 e do "hat trick" de Alex Crivillé, entre 1997 e 1999.

No entanto, desde que Crivillé terminou no pódio em 2001, o único piloto espanhol a terminar no "top ten" nos últimos dois anos foi Gibernau, que não foi além de nono em 2002.

Gibernau terminou em terceiro em Jerez, pilotando a Honda V-twin em 1999, mas nunca mais voltou a ter muita sorte desde então: saída de pista em 2002 e 2003. "Claro que para um espanhol é sempre muito importante um bom resultado no GP de Espanha", admite Gibernau. "Jerez é muito especial, é uma das melhores pistas do Mundo, não apenas pelo traçado. Os fãs aqui são únicos – é um GP ‘nosso' e gosto de lhes dar algo para celebrar –, locais e vindos de outros países".

O segundo lugar de Checa em 2000 é o único pódio que conseguiu alcançar em oito épocas, tendo abandonado nos dois últimos ano com problemas mecânicos, apesar de ter-se qualificado na "pole" para as 500cc em 1998, uma das suas duas "pole".

"Correr em Espanha é um pouco diferente, pois temos amigos e fãs por todo o lado", disse Checa. "É uma pista que conheço bem e os fãs nunca deixaram de me incentivar, pelo que espero que lhes possa retribuir com um bom resultado. Estou à vontade nesta pista e conheço bem as trajectórias e locais de travagem".

Xaus, por sua vez, não tem tanta pressão este fim-de-semana, já que corre aqui pela primeira vez na classe rainha e admite sentir-se um pouco mais nervoso que o habitual. "Conheço a pista mas a última vez que aqui andei foi em 1995, no campeonato espanhol. Agora, vou estar naquele Jerez de que todos falam todos os anos e que sempre vi na Televisão. Por muito que falem nisso, tem que viver-se o momento para acreditar".

"Espero que os fãs me recebam bem, porque da minha parte garanto que vou dar 110%. Durante os testes da IRTA, apercebi-me das alterações ao traçado mas como o tempo não estava a nosso favor, não conseguimos treinar como queríamos. Em Welkom, conseguimos um bom trabalho mas não tivemos sorte e agora, em Jerez, os nossos objectivos são os mesmos: ganhar mais experiência".

Tags:
MotoGP, 2004, GRAN PREMIO MARLBORO DE ESPAÑA

Outras actualizações que o podem interessar ›