Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Barros ansioso por vencer em casa

Barros ansioso por vencer em casa

Barros ansioso por vencer em casa

Alex Barros admitiu ser esta a sua melhor hipótese de conquistar o Grande Prémio do seu país Natal na moto que guiou Valentino Rossi à vitória no Rio nas passadas duas temporadas. Barros terminou em segundo na época de 2000 aos comandos da Honda NSR500, mas acredita que pode melhorar esse resultado com a toda poderosa RC211V.

"Para mim, esta é a melhor moto de sempre", diz Barros, que sofreu um acidente em Assen na passada semana quando seguia no segundo posto. "Quando corri pela primeira vez com uma RCV em Motegi em 2002 fiquei surpreendido. Não consegui notar nada de mal na moto e era bastante fácil conseguir uma boa afinação.

"Tenho muito boas hipóteses de ganhar este ano. As minhas melhores desde 2000 quando era altura das 500cc. Também tive hipóteses em Mugello, onde tive um problema. Na Catalunha e em Assen sofri um acidente. Tudo farei para ganhar no Rio."

Barros é natural de São Paulo, mas na qualidade de único brasileiro a competir actualmente em qualquer uma das classes é o homem ideal para nos dar uma previsão do estado do tempo para uma corrida que se irá disputar alguns meses mais cedo do que é habitual.

"A corrida será muito diferente este ano precisamente porque alteraram a data – neste momento é Inverno no Brasil. Não estará frio mas mais fresco. Em teoria não é época de chuva, mas também não é em Setembro e nos últimos anos tivemos chuva.

"A pista tem muita aderência quando chove. Há dois anos choveu bastante durante a corrida e mesmo assim os tempos por volta foram bastante rápidos."

Não obstante qual o tempo que se fizer sentir, Barros diz que a escolha de pneus é crucial – tanto na frente como na traseira – e diz que está bastante confiante na escolha posta à disposição dos pilotos por parte da Michelin.

"Ambos os pneus são igualmente importantes no Rio, dado que há guiar com frente nesta pista", diz. "Existe todo um conjunto de curvas rápidas onde temos de carregar a frente. A juntar a isto, a pista tem muitas irregularidades. Daí que tenhamos de controlar as derrapagens da frente. Também temos de estar atentos a derrapagens da traseira porque existem muitas curvas longas, tal como em Barcelona."

"Gosto imenso do 16.5' dianteiro. Podemos abusar um pouco mais na travagem e dá-nos mais aderência na lateral do pneu, daí que possamos forçar um pouco mais nas curvas de alta. O novo pneu traseiro também nos dá isso, embora pense que a sua maior vantagem é na tracção que confere à aceleração à saída das curvas.

"A princípio sentíamos algumas vibrações com este pneu, mas desapareceram quando trabalhámos a suspensão. No início do ano tínhamos alguns problemas de sub viragem mas conseguimos resolver esse problema também com alguns ajustes de suspensão."

Barros sabe que a pressão está agora no sentido de transformar estes progressos em resultados, mas acredita que pode conseguir já isso na sua corrida natal. "Sinceramente gosto da pressão", sorri. "Os fãs são verdadeiros apaixonados e sei que terei imenso apoio.

"Os meus últimos resultados foram desapontantes, mas sinto-me encorajado pelo equilíbrio que a minha equipa conseguiu para a minha moto. A equipa tem trabalhado arduamente para me colocar na cabeça do pelotão e agora apenas necessito de um resultado."

Tags:
MotoGP, 2004, Alex Barros

Outras actualizações que o podem interessar ›