Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Vinte e cinco anos desde a clássica de Silverstone

Vinte e cinco anos desde a clássica de Silverstone

Vinte e cinco anos desde a clássica de Silverstone

Hoje celebram-se 25 anos desde que teve lugar uma das maiores batalhas jamais ocorridas no mundo motorizado. Uma luta que decorreu no circuito de Silverstone no Grande Prémio do Reino Unido. A 12 de Agosto de 1979 o reinante Campeão do Mundo Kenny Roberts defrontou Barry Sheene naquele circuito e estes arqui-rivais protagonizaram um duelo que ficou para história como um clássico do motociclismo.

Depois de dois anos a arrecadar o título de 500cc com uma Suzuki, Sheene estava a ser pressionado pelo rival Roberts vindo dos Estados Unidos da América montado numa reluzente Yamaha amarela em 1978. Sheene havia feito subir a competição a um nível nunca antes visto no Reino Unido, protagonizando spots publicitários e aparecendo em shows de TV.

Tal era o carisma do londrino que o motociclismo que as transmissões das corridas eram aguardadas com grande entusiasmo na BBC. O Grande Prémio do Reino Unido era o maior evento desportivo com larga audiência tanto na pista como em casa. Vencer o Grande Prémio era um acontecimento importantíssimo que catapultaria Sheene para o ponto mais alto da sua carreira, ainda para mais com as suas aspirações ao título a não serem as melhores dado alguns problemas mecânicos que assolavam a sua moto. Daí o optimismo em 1979 seria o ano em que conseguiria bater o resto do Mundo em frente aos seus fãs.

Roberts preparava-se para arrecadar outro título mundial depois de recuperar de um acidente feio na pré-temporada que resultou num pé partido, vértebra partida e danos na sua perna. Enquanto isso, havia ainda que contar com outros pilotos como Wil Hartog, Virginio Ferrari e Jonny Cecotto./p> Sob condições atmosféricas favoráveis, foi Hartog quem cedo se distanciou com o seu característico fato branco. Rodando muito rápido ao longo da recta do Hangar (Silverstone era uma das pistas mais rápidas da altura sem nenhuma das chicanes depois acrescentadas para a F1) Sheene e Roberts depressa se chegaram ao holandês, tendo consumado a ultrapassagem para encetarem a sua própria luta.

O que fez da corrida algo de tão especial foi o facto de nenhum dos pilotos se conseguir distanciar na liderança e a regularidade com as voltas eram disputadas fez com que estas passassem muito depressa. Sheene estava a jogar em casa e as câmaras perseguiam-no quando ultrapassou Roberts na curva Copse. Foi entretenimento puro entre dois rivais que não faziam segredo que não gostavam um do outro.

Roberts acabaria por vencer a corrida num dramático final com menos de meio corpo de moto a separar os pilotos na linha de meta. Sheene bateu o recorde da pista na última volta quando o seu ataque final ficou comprometido por um concorrente atrasado na curva Woodcote. Lutando por recuperar o terreno perdido, Sheene negociou a última volta de forma fantástica, concretizando a expressão de ‘Grandstand finish'.

Ambos os pilotos sabiam que haviam tomado parte em algo de especial e os fãs que tiveram a oportunidade de assistir viram uma combinação de velocidade, agilidade, rivalidade e expectativa como nunca antes havia sucedido, naquele célebre dia em Silverstone.

Entretanto, a data de 12 de Agosto também assinala o último Grande Prémio a ter lugar na Suécia, mas concretamente em Anderstorp em 1990. A Suécia foi palco do seu primeiro Grande Prémio em 1958, tendo sido realizadas 22 corridas, 17 das quais em Anderstorp. A última corrida ali disputada foi há 14 anos. O vencedor foi Wayne Rainey à frente do seu colega de equipa Eddie Lawson.

Tags:
MotoGP, 2004

Outras actualizações que o podem interessar ›