Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Dovizioso presenta-se como principal candidato ao título

Dovizioso presenta-se como principal candidato ao título

Dovizioso presenta-se como principal candidato ao título

A desafortunada passagem de Andre Dovizioso por Portugal na passada semana não o fez perder nem um pouco da sua confiança e convicção em se tornar no próximo Campeão do Mundo de 125cc. O italiano da Kopron Team Scot não somou pontos no GP Marlboro de Portugal por causa de um furo no pneu traseiro que o obrigou a regressar à boxe a meio da corrida, numa altura em que liberava a prova. Dovizioso considerou o infortúneo como um caso isolado e considerou-se o principal candidato à coroa das 125.

"Cheguei a Portugal convencido que podia fazer um bom resultado, estava seguro que podia ganhar", comentou o italiano ao motogp.com. "Mas tive este problema que me obrigou a abandonar... mas não é muito grave porque tenho muitos pontos de vantagem no Campeonato. Foi apenas um azar que não hipoteca a minha caminhada para o título".

Dovizioso, que até ao passado domingo era o único piloto de 125cc a ter somado pontos em todas as corridas deste ano e que tinha como pior resultado um quarto lugar, espera vingar este azar já na próxima corrida do Campeonato dentro de dez dias no Japão.

"Agora estou ainda mais motivado para ganhar em Motegi, já que é uma excelente forma de provar que, não fosse um furo, as coisas podiam ter sido bem diferentes", adiantou o piloto de 18 anos. "Vou para o Japão para ganhar, não tenho qualquer outro objectivo. Além disso, conheço bem o circuito e sempre me dei bem nele, pelo que estou certo que este ano não será diferente".

O actual líder do Campeonato também se mostra muito convicto quanto às outras corridas ainda por disputar. "No que toca às outras quatro corridas a realizar posso dizer que não me preocupam. Talvez a do Qatar possa ser a mais difícil por se tratar de uma pista que não conheço, mas creio que será fácil aprende-la quando lá chegar. Não necessitamos de muito trabalho para nos adaptarmos às pistas. Por isso, confio nas minhas possibilidades e penso que o Qatar não será grande problema. Por outro lado, a pista malaia não é das que nunca gostei e onde não consegui resultados extraordinários, mas tendo em conta a forma como as coisas se estão a desenrolar penso que também não será problemático".

Dovizioso conta com uma vantagem de 20 pontos sobre o espanhol Hector Barberá e 29 sobre o compatriota Roberto Locatelli numa altura em que faltam atribuir 125 pontos, mas quando toca a avaliar os seus adversários, o italiano não hesita em apontar o compatriota como o mais perigoso para os seus interesses.

"Olhando para a classificação geral, os meus principais rivais na luta pelo título são o Barberá e o Locatelli, dois pilotos totalmente diferentes", considera. "Creio que o Locatelli é o mais perigoso, o rival a ter em linha de conta, porque é realmente forte. É um piloto determinado e tem sempre um bom ritmo. Também teve problemas em Portugal, mas foi um caso isolado, como me aconteceu a mim. Pelo contrário, o Barberá parece-me muito jovem, sem experiência suficiente. Não considero que tenha um ritmo forte. Tem sangue na guelra, mas isso não é tudo para ganhar corridas".

Tags:
125cc, 2004, GRANDE PREMIO MARLBORO DE PORTUGAL

Outras actualizações que o podem interessar ›