Compra de bilhetes
VideoPass purchase

MotoGP dirige-se a este para o Grande Prémio Camel do Japão

MotoGP dirige-se a este para o Grande Prémio Camel do Japão

MotoGP dirige-se a este para o Grande Prémio Camel do Japão

O Campeonato do Mundo de MotoGP está a entrar na sua fase crucial, com a realização este fim-de-semana do primeiro de cinco corridas fora do continente Europeu, o Grande Prémio Camel do Japão.

A elite das corridas de motociclismo e as suas motos dirigir-se-ão depois do Japão para o Qatar, Malásia e Austrália, antes de regressarem a território europeu no final de Outubro para o 16º e último Grande Prémio da época em Valência. É uma altura decisiva para a atribuição do título, que actualmente parece destinado a permanecer nas mãos do seu actual detentor, Valentino Rossi.

A sexta vitória de Rossi nesta temporada na última ronda disputada em Portugal, aumenta a sua média de vitórias para mais de 50% em relação às 11 corridas já disputadas. Um ratio que não mostra sinais de diminuir na medida em que a Yamaha fará um último esforço para garantir o título que lhes foge desde 1992.

Durante o dia de testes que decorreu no Estoril depois da corrida, Rossi disse que os resultados eram positivos, em especial no que toca ao novo sistema de escape que veio directamente do Japão. Uma arma que esperam utilizar este fim-de-semana contra os seus grandes rivais da Honda.

A Honda que deu ao seu principal candidato ao título, Sete Gibernau, um novo sistema de escape que o espanhol preferiu não utilizar, optando por utilizar a mesma moto que já lhe valeu três vitórias esta temporada nas derradeiras rondas do campeonato. O piloto, que também ficou em testes no Estoril, dirige-se assim para o Japão com alguns novos desenvolvimentos na afinação da sua Honda RC211V e espera com isso conseguir diminuir a desvantagem de 29 pontos que tem para Rossi no topo da classificação.

Os principais rivais às aspirações de Gibernau para este fim-de-semana podem, no entanto, vir dos seus colegas de fábrica. Makoto Tamada e Alex Barros arrecadaram ambos pontos em Portugal, ao terminarem em segundo e terceiro, respectivamente e relegando Gibernau para quarto. Para mais, ambos têm bons registos naquele circuito.

Tamada foi desqualificado na corrida do ano passado e foi-lhe negado aquele que teria sido o seu segundo pódio da temporada, depois de lutar com Gibernau pelo terceiro posto. Enquanto isso, Barros arrecadou a vitória naquela que era a sua primeira participação a bordo de uma RC211V nesta pista, em 2002.

Tamada, em particular, quererá vingar a decisão do ano passado e chega ao Grande prémio do seu País em boa forma. Desde a sua vitória no Rio na sétima ronda, Tamada é segundo em termos de pontos ganhos logo atrás de Rossi e quererá aumentar a sua reputação com uma segunda vitória da temporada em frente ao seu público.

O seu companheiro na Honda Nicky Hayden, que obteve o seu primeiro pódio de sempre graças à desqualificação de Tamada no ano passado, está de volta depois de falhar a corrida em Portugal devido a uma lesão na clavícula. Enquanto isso, Shane Byrne já confirmou que regressará à Aprilia depois de ter vindo a recuperar de uma lesão no pulso contraída numa acidente nos treinos para Brno há quatro semanas.

Por seu turno, as notícias não são assim tão boas para a Proton Tema KR, já que Kurtis Roberts deverá falhar as próximas duas corridas depois de se ter submetido a uma cirurgia ao pulso.

Enquanto isso, Tohru Ukawa deverá regressar ao MotoGP pela primeira vez desde o final da temporada de 2003, tripulando uma versão actualizada da RC211V como wildcard da Honda. A Ukawa juntar-se-á em pista o ex-campeão do Mundo de 250cc, Olivier Jacque - que também havia abandonado o MotoGP no final da temporada passada – aos comandos de uma Moriwaki.

As aspirações de Max Biaggi para vencer o título deste ano são praticamente nulas, depois da queda que sofreu na primeira volta em Portugal. Contudo, o italiano escapou ileso e deve estabelecer em Motegi um recorde de 180 Grandes Prémios consecutivos. Um circuito que lhe valeu a pole a vitória há um ano atrás.

O compatriota de Biaggi, Marco Melandri, também tem uma cifra interessante para realizar neste Grande Prémio, ao realizar a sua centésima corrida desde a sua estreia em 1997. O piloto da Yamaha realizou o seu melhor resultado de toda a temporada no ano passado em Motegi, recuperando de 19º na primeira volta para quinto no final da corrida.

Tags:
MotoGP, 2004, CAMEL GRAND PRIX OF JAPAN

Outras actualizações que o podem interessar ›