Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Kawasaki celebrou o seu primeiro pódio

Kawasaki celebrou o seu primeiro pódio

Kawasaki celebrou o seu primeiro pódio

Shinya Nakano obteve um histórico terceiro lugar a correr em casa pela Fuchs Kawasaki Racing Team naquele que foi o primeiro pódio da fábrica desde o seu regresso ao MotoGP neste circuito como wildcard há dois anos.

Motivado pelo apoio de fãs com a bandeira da Kawasaki, Nakano levou a cabo uma magnífica perseguição ao rival da Yamaha Marco Melandri ao longo de 18 voltas na busca do terceiro lugar. O momento crítico surgiu no final da recta interior na 19ª volta quando Nakano conseguiu travar mais tarde que Melandri e passá-lo por dentro enquanto o italiano regressava, por breves instantes, à frente do nipónico.

A escalada de Nakano até ao terceiro posto igualou o último resultado da Kawasaki no pódio na categoria rainha, com o terceiro lugar de Kork Balling na altura aos comandos da KR500, no Grande Prémio da Finlândia de 1981 em Imatra. "O mais importante desta tarde foi a motivação que este resultado nos dá para o futuro. Hoje vimos o potencial da Ninja ZX-RR", disse Harald Eckl, director da equipa. "Estou muito satisfeito por todos os membros da equipa e também pela Bridgestone, porque temos todos trabalhado muito nos meses mais recentes".

"Hoje conseguimos ver os resultados. Mas sem o Shinya este pódio não seria possível, ele fez um trabalho fantástico. O Alex rodou de forma consistente para terminar em 10º, mas lutou muito para encontrar o seu ritmo durante o fim-de-semana e entendemos isso. O tempo dele vai chegar".

Nakano também ficou satisfeito por ter evitado a grande confusão da primeira curva, averbando o segundo pódio da sua carreira em MotoGP, sendo que o primeiro data de 2001 em Sachsenring aos comandos de uma Yamaha.

"É um resultado fantástico para mim, para a Kawasaki e para a Bridgestone. Desde o início que vi que o acidente ia acontecer porque a curva Um é muito apertada. Fui por dentro e cheguei a quarto, depois tentei passar o Melandri durante muitas voltas sem sucesso. Mas como ainda tinha boa aderência no pneu traseiro para lá do meio da corrida fiquei em vantagem. Sabia que o Melandri ia tentar recuperar a posição por dentro, por isso já estava preparado".

"Mesmo no final da prova ainda conseguia fazer tempos rápidos, mas a última volta foi provavelmente a mais longa da minha vida. Já só estava à espera da bandeira de xadrez. Nem conseguia acreditar que fui terceiro".

Tags:
MotoGP, 2004, CAMEL GRAND PRIX OF JAPAN, Kawasaki Racing Team

Outras actualizações que o podem interessar ›