Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Par da Aprilia satisfeito com os pontos obtidos

Par da Aprilia satisfeito com os pontos obtidos

Par da Aprilia satisfeito com os pontos obtidos

Jeremy McWilliams e Shane Byrne revelaram o seu alívio por terminarem nos pontos depois do acidente da primeira curva em Motegi, no domingo. Enquanto que grande parte do drama teve lugar na cabeça da corrida, houve muita acção um pouco mais para trás. Tanto que McWilliams recuperou do acidente para terminar em 12º e Byrne atravessou a barreira que se gerou com o acidente para terminar em 13º.

McWilliams largou muito bem, ultrapassando o seu compatriota Neil Hodgson logo na segunda volta e subindo assim a décimo. Contudo, as esperanças do piloto de 40 anos de idade de obter a sua melhor classificação da temporada saíram frustradas na volta número quatro quando perdeu o controlo da frente da sua Aprilia na curva quatro, um pouco antes do primeira túnel.

Regressando à pista na 17ª posição, McWilliams realizou então uma recuperação muito agressiva para conseguir regressar aos pontos pela sexta vez nas últimas sete corridas.

"Gostei imenso das primeiras dez voltas, não obstante o acidente", disse McWilliams. "Estava envolvido numa luta renhida com as Ducati. O Troy Bayliss não estava a conseguir ir-se embora e eu pensava que poderia estar ali o nosso melhor resultado da temporada.

"Mas foi aí que na curva quatro, perdi o controlo da frente. Estava em plena aceleração na saída da curva quando cai. Estava a utilizar os mesmos pneus que havia utilizado toda a temporada. Tinha a hipótese de utilizar pneus mais duros, mas optei por não o fazer. Errei.

"Quando voltei à pista e comecei a recuperar lugares, estava com problemas de aderência na traseira. O acidente foi um pesadelo mas pelo menos conseguimos alguns pontos."

O seu companheiro de equipa, Byrne, teve um dia difícil. Ainda a recuperar de um pulso deslocado que contraiu há um mês em Brno, a corrida do piloto de 26 anos tornou-se ainda mais difícil com as condições atmosféricas que se faziam sentir – quente e húmido.

Apesar de admitir, no sábado à noite, que provavelmente não conseguiria realizar mais de cinco voltas devido à lesão, Byrne ultrapassou a dor e um problema de pressão de combustível na sua moto, e conseguiu marcar os seus primeiros pontos desde Donington Park no ano passado.

"A corrida parecia que nunca mais acabava, mas aguentei e consegui alguns pontos", disse o piloto depois. "A minha cabeça estava a dizer-me para abandonar, mas o meu coração dizia para prosseguir. Cerrei os dentes e no fim estava a sentir imensa dor no pulso.

"Com oito voltas para o final tive um problema de pressão de combustível, mas felizmente consegui terminar a corrida. Irei para Inglaterra para realizar mais tratamentos no pulso e espero que ficar mais próximo da total recuperação."

Tags:
MotoGP, 2004, CAMEL GRAND PRIX OF JAPAN

Outras actualizações que o podem interessar ›