Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Pilotos de MotoGP das motos para camelos

Pilotos de MotoGP das motos para camelos

Pilotos de MotoGP das motos para camelos

Um trio de pilotos de MotoGP trocou a potência dos cavalos pela dos camelo no Circuito Internacional de Losail esta tarde, aproveitando a oportunidade para experimentarem o meio de transporte preferido da região antes de darem início à verdadeira acção na pista. Neil Hodgson, Shinya Nakano e Loris Capirossi andaram de camelo um de cada vez numa zona especial dentro do impressionante paddock ainda antes de darem a primeira olhadela à pista.

"Todo o local é soberbo e fizeram tudo de forma extremamente profissional", comentou Hodgson. "Penso que todos vão gostar desta prova. Nenhum de nós rodou ainda em Losail até agora, mas tive a oportunidade de visitar o circuito para ver os trabalhos no início do ano e apesar de só ter cá estado um dia, fiquei muito bem impressionado com tudo".

"Faz-me lembrar Valência, e apesar de me parecer um pouco mais rápido e de ter uma recta de um quilómetro, não deixa de ser muito sinuoso. Penso que vamos necessitar de boa afinação na moto para que curve bem e tenha boa aderência nas zonas com mais curvas".

Enquanto isso, Nakano já estava nas nuvens depois do pódio caseiro em Motegi e o piloto japonês que continuar a apresentar resultados da mesma ordem. "É claro que foi muito bom ir ao pódio em Motegi – foi um resultado que não esperava", comentou o nipónico da Kawasaki.

"Tive uns dias muito ocupados depois da corrida no Japão, muitos telefonemas, entrevistas e uma visita ao quartel-general da Bridgestone. Estar no pódio apenas três meses após o meu grande acidente em Mugello é fantástico. É uma excelente recompensa por todo o trabalho que a Bridgestone e a Kawasaki têm feito".

"Todos os que estão envolvidos com a equipa estão agora mais confiantes e motivados. O Qatar é muito diferente, é uma pista nova para aprendermos e talvez uma superfície com alguma areia por estarmos no meio do deserto. Estou ansioso pelo desafio. Vou dar algumas voltas à pista de scooter com o meu engenheiro de corrida antes dos treinos e tentar entender o que é necessário para ser competitivo nesta pista".

Capirossi chegou ao Qatar ontem e ainda em recuperação de dois ossos partidos no pé, uma memória duradoura do acidente na primeira curva de Motegi. Contudo, depois de muita fisioterapia o piloto da Ducati Marlboro está confiante num rápido regresso à competitividade no novo circuito.

"Tenho feito muita fisioterapia ao pé, por isso espero não ter problemas no Qatar", disse Capirossi. "Seja como for, vai ser um fim-de-semana interessante para todos porque ninguém conhece a pista".

"Também vai ser o nosso primeiro GP no deserto, por isso sabemos que vai ser uma corrida difícil. Mas o facto de ser um traçado totalmente novo não é um problema – uma hora é o suficiente para o ficarmos a conhecer".

Tags:
MotoGP, 2004, MARLBORO GRAND PRIX OF QATAR

Outras actualizações que o podem interessar ›