Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Doohan prepara-se para Phillip Island

Doohan prepara-se para Phillip Island

Doohan prepara-se para Phillip Island

O Cinzano Grande Prémio da Austrália está a dias de se realizar e o maior piloto australiano de sempre, Mick Doohan, voltou a montar uma moto de competição, o que raramente acontece desde que deixou as corridas há cinco anos.

Na verdade, ele esteve aos comandos de duas motos de competição num só dia. Não é que o regresso do penta-Campeão do Mundo de 500cc esteja para acontecer. Doohan esteve a marcar presença num dia de pista com o novo Campeão Australiano de SBK e Supersport Adam Fergursson, bem como com Josh Brookes e Jason O'Halloran no circuito de Winton, no Norte de Vitória.

Doohan não se preocupou com os tempos por volta, mas gostou de falar do actual MotoGP e do Grande Prémio do próximo fim-de-semana em Phillip Island.

"Gosto muito de ir a Phillip Island", disse Doohan. "Tem umas instalações fantásticas e penso que os novos donos (Linfox) têm um futuro brilhante pela frente, por isso é bom ver".

"Creio que as corridas de motociclismo, e motorizadas em termos gerais, têm um longo futuro pela frente aqui. Voltar atrás e olhar em especial para o MotoGP em Phillip Island... estas motos são extraordinárias de ver e ouvir. Espero ver muito público na pista".

Doohan, que somou 54 vitórias em Grandes Prémios com a Honda, disse que a marca japonesa ainda tem a melhor máquina do desporto, mas adiantou que o actual Campeão do Mundo Valentino Rossi continua a ser o piloto número Um".

"Adorava ver a Honda no topo outra vez", disse Doohan. "Tivemos muitos sucessos durante os últimos dez anos. A Yamaha está muito próxima e creio que até será capaz de ir mais além".

"O Valentino tem 14 pontos de vantagem, o que não parece muito, mas o Sete estaria preocupado se estivesse na frente e com a mesma vantagem. Por isso, estar a 14 pontos de Rossi ainda é uma longa caminhada".

"O Gibernau tem tido uma boa temporada, mas não encontrou consistência. No final do dia tudo se resume ao piloto e no motociclismo o piloto continua a fazer a diferença".

"Mesmo que a Honda consiga mais 20 cavalos, temos de ser capazes de os utilizar. Uma moto é um difícil equilíbrio entre piloto e técnica."

"A Honda pode construir uma máquina melhor que a Yamaha, mas no final do dia o Valentino é meio segundo mais rápido que outros pilotos Yamaha e normalmente dois a três décimos mais rápido que os homens da Honda. E isto em termos de tempo por volta. Os pilotos têm de ser consistentes em termos de rapidez – nas corridas, não apenas na qualificação".

Doohan também teceu breves comentários em relação a outros rivais de Rossi na luta pelo título, prevendo um futuro brilhante para o norte-americano John Hopkins e para o australiano Chris Vermeulen, actualmente no WSB, e para Casey Stoner.

"A Suzuki precisa de outro Kevin Schwantz. Não estão muito longe – o John Hopkins tem muito talento e parece que "acordou" recentemente. A Kawasaki está a ficar melhor, a Ducati foi na direcção errada neste ano, o motor da Aprilia foi desenhado de forma errada... mas o futuro do desporto é bom. O panorama a dez anos é cada vez melhor e os construtores estarão sempre lá".

"Creio que o Vermeulen tem uma grande carreira pela frente e penso que há algumas coisas boas reservadas para ele no final deste ano. Ele tem a cabeça bem assente entre os ombros".

"Ele tem todas as hipóteses de visitar a equipa de fábrica da Honda de MotoGP a qualquer momento, e quanto mais para trás vamos no pelotão maiores são as hipóteses... é o tipo de piloto para quem a Honda olha em termos de futuro".

"Gostava de ver isso, talvez não no próximo ano, mas no seguinte. Gostava de o ver com um lugar na HRC e na equipa de MotoGP. O Stoner também só vai melhorar".

Tags:
MotoGP, 2004, CINZANO AUSTRALIAN GRAND PRIX, Mick Doohan

Outras actualizações que o podem interessar ›