Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Pedrosa coroado em temporada de recordes

Pedrosa coroado em temporada de recordes

Pedrosa coroado em temporada de recordes

A estrela espanhola do motociclismo Dani Pedrosa correu para um calculado quarto lugar no Cinzano Grande Prémio da Austrália para reclamar o ceptro do Campeonato do Mundo de 250cc. Com 19 anos e 18 dias de idade, Pedrosa é o mais jovem Campeão do Mundo de 250cc de sempre, tendo batido o recorde de Marco Melandri de 2002.

Depois de conquistar o título de 125cc no ano passado, Pedrosa é também o primeiro a vencer os Campeonatos de 125cc e 250cc em anos consecutivos desde Carlo Ubbiali em 1960.

"É um sonho para mim, mas a verdade é que fui eu quem o conseguiu, mas ao consegui-lo não posso deixar de pensar em todos os que estiveram envolvidos", disse Pedrosa na conferência de imprensa após a corrida. "As pessoas que me ajudaram nos momentos mais difíceis e todos os que me ajudaram nas corridas, a Movistar e a Honda, a minha equipa. Foi algo conseguido por todos. E é claro, todas as pessoas no centro de reabilitação de Blume em Espulas, Barcelona. Os médicos, os fisioterapeutas, muitas pessoas que, mesmo com contribuições pequenas, tiveram um papel importante. Agradeço a todos eles".

"É claro que queria vencer a corrida hoje, teria sido a melhor forma de vencer o campeonato. Foi isso que tentei, mas com a queda de ontem e o problema no warm up e depois o vento no final da corrida perdi alguma confiança e deixei o Poggiali passar-me para garantir que conquistava o título. Estava apenas a tentar terminar a corrida. Quando cruzei a meta estavam todos a festejar e comecei a gritar dentro do capacete. Depois procurei pessoas com a bandeira de Espanha e com a t-shirt de Campeão, mas não sabia em que curva estavam. Foi então que vi o meu amigo Marcelo Carbone à minha espera".

A conquista do título por Pedrosa foi quase um conto de fadas, já que há apenas 12 meses neste mesmo circuito caiu e fracturou os dois tornozelos, lesões que levaram cinco meses a sararem e quase puseram em causa a preparação para a sua campanha nas 250cc. Na verdade, Dani não tinha testado a sua vencedora Honda RS250R-W a não ser a três semanas da primeira corrida da temporada.

"Depois de cinco meses sem correr descobri que era difícil voltar a habituar-me a correr. Passei todo o Inverno a pensar no regresso. Muitos disseram que não teria possibilidades nas 250cc. Não seria capaz de o fazer. Durante o Inverno fiquei muito determinado em provar que seria capaz. Esse foi outro motivo pelo qual fiquei tão feliz com a vitória na África do Sul. Não disse nada na altura, queria apenas manter isso na minha mente".

Com esta vitória Pedrosa tornou-se no mais jovem de sempre a vencer um Grande Prémio de 250cc. Foi também a primeira vez que um Campeão do Mundo de 125cc em título vencia a primeira prova da temporada de 250cc em mais de três décadas.

"Fiquei surpreso com a rapidez que apresentei", disse. "No Inverno o Alberto Puig disse-me que tudo terminaria como terminou – seria rápido nas primeiras corridas. Ele disse que um bom piloto tem a força para mostrar o que tem para dar nas 250. nas corridas de 125cc os pilotos da frente estão todos muito próximos, mas nas 250 podemos mesmo ver a diferença".

A corrida de estreia trouxe muitas expectativas quanto à segunda ronda, o seu Grande Prémio em Jerez de la Frontera, particularmente por parte da imprensa espanhola. Contudo, acabou por os desiludir, e a si próprio também, ao cair numa zona molhada devido à chuva torrencial numa altura em que rodava em terceiro.

"Na verdade caí porque tivemos problemas na qualificação que nos impediram de retirar o melhor da nossa moto. Queria manter a minha posição porque estava a ser a minha melhor corrida à chuva. Depois disso disse a mim próprio ‘nem mais um acidente de corrida esta temporada'".

E tem cumprido. Na ronda seguinte em Le Mans voltou a vencer e depois apresentou oito pódios consecutivos, incluindo mais duas vitórias, para reclamar a liderança de triunfos a caminho da conquista do título em Phillip Island.

As únicas ‘manchas' no seu registo desta temporada foram dois quartos lugares. O primeiro no Grande Prémio de Portugal, onde teve um furo lento que pôs fim ao seu ataque final na corrida. O segundo foi em Phillip Island, onde um problema eléctrico com a sua primeira moto no warm up o obrigou a rodar com a máquina de reserva na corrida. Entre os dois quartos lugares, Dani venceu no Japão, foi segundo no Qatar e voltou a vencer na Malásia.

Pedrosa levouo a cabo uma primeira temporada nas 250 com muita calma e calculismo para tirar o máximo partido de cada corridas sem correr riscos desnecessários, enquanto os seus mais experientes rivais várias vezes descuravam a cautela na busca de uma vitória num GP.

"Sabia que tinha de ser consistente em todas as corridas e somar o maior número de pontos possíveis. Ganhámos corridas, fomos ao pódio e tirei partido dos erros dos outros. É claro que também cometemos erros, mas o segredo foi tirar o máximo possível da cada corrida e de cada qualificação".

O Campeão foi rápido a partilhar os créditos do triunfo. "A equipa é muito importante. Se os nossos mecânicos gostarem de nós, eles serão capazes de morrer por nós. Tenho uma equipa muito boa à minha volta. Dou-lhes 100% e eles respondem-me da mesma forma. Nunca me senti sozinho nisto, dei o melhor por eles", disse.

Tags:
250cc, 2004, CINZANO AUSTRALIAN GRAND PRIX, Dani Pedrosa

Outras actualizações que o podem interessar ›