Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Montiron com futuro promissor na Konica Minolta Honda

Montiron com futuro promissor na Konica Minolta Honda

Montiron com futuro promissor na Konica Minolta Honda

O Campeonato do Mundo de MotoGP vai contar com novas cores em 2005 graças à chegada de um novo patrocinador de monta, os gigantes da fotografia Konica Minolta.

A companhia japonesa apoia nova estrutura de equipa conhecida como JIR (Japan Italy Racing), criada por Tetsudo Iida, antigo presidente da Honda Europe NV, e Luca Montiron, antigo Director Desportivo da formação de Makoto Tamada na Camel Honda, anterior Parmac Honda com a qual Tamada se estreou no MotoGP em 2003.

Nesta entrevista exclusiva, Montiron fala em detalhe do projecto Konica Minolta Honda e define os objectivos da equipa para a primeira temporada em que vão rodar com pneus Michelin pela primeira vez.

Pergunta: Quão satisfeito está por fazer parte deste novo projecto?

Luca Montiron: Estamos todos muito satisfeitos porque temos um importante patrocinador na Konica Minolta e demos início a um projecto ambicioso com uma estrutura dedicada totalmente a um piloto, o Makoto Tamada. Graças ao apoio da Konica Minolta e da Honda temos o privilégio de competir em MotoGP, o que é um grande ponto de partida para o nosso projecto. Além disso, o Makoto será também piloto de testes da HRC e isso representa grande nível de apoio da fábrica, fundamental para alcançarmos o nível de êxito que pretendemos.

P: Parece que o Makoto é parte importante do plano...

LM: Sem dúvidas. Creio que o Makoto demonstrou o seu talento na temporada passada - venceu duas corridas, estabeleceu três pole positions, terminou em segundo algumas vezes... basicamente mostrou que é um forte adversário e é capaz de lutar com os habituais pilotos da frente do Campeonato do Mundo de MotoGP. Penso que é um dos novos pilotos Honda que provou a capacidade da marca vencer o título. Fez coisas espectaculares no ano passado que não dependeram apenas do material que tinha, mas também das suas capacidades enquanto piloto.

P: Quão importante é ter o apoio da Konica Minolta?

LM: Creio que a chegada de novos patrocinadores é interessante para o motociclismo porque actualmente estamos dominados pelo tabaco, pelo que é muito importante assistir à entrada de companhias como a Konica Minolta. Estou muito satisfeito por termos trazido tão importante patrocinador para o MotoGP pela primeira vez. Agora cabe-nos a nós continuar o trabalho e manter o crescimento para que outros patrocinadores que estão de olhos em nós possam envolver-se também. Em particular porque para nós foi difícil atrair patrocinadores na Europa porque temos um piloto nipónico. Apesar das nossas referências estarem no mercado japonês, continuamos à procura de multinacionais com interesses globais.

P: Fale-nos mais da mudança da Bridgestone para a Michelin...

LM: Julgo que vai provar-se fundamental porque se continuasse-mos com a Bridgestonen não teríamos o mesmo tipo de apoio que tivemos nas duas últimas temporadas. Penso que o facto de estarem a trabalhar com a Suzuki, Kawasaki e Ducati significa que não teriam muito tempo para nos darem a atenção que nos davam quando éramos a única equipa. Assim, fomos obrigados a fazer a troca e uma vez que olhámos para as coisas assim decidimos ir para a frente com tudo. Estamos certos que podemos utilizar a nossa experiência de dois anos de trabalho com a Bridgestone para contribuir para o trabalho levado a cabo pela Michelin.

P:Mas parecia que a Bridgestone estava a ganhar vantagem em alguns circuitos...

LM: Sim, vimos isso na temporada passado e estou certo que vão ter as mesmas vantagens este ano, mas apenas em algumas pistas. Seja como for, a Bridgestone é muito forte e penso que se vão dar bem ao longo da época, mas na minha opinião a diferença estará na moto. A Honda garante elevado nível de competitividade em todas as 17 jornadas da temporada, o que já não se pode dizer de outras motos. Para mim esse é o ponto principal. Talvez em algumas pistas os pneus sejam mais importantes que as motos, mas penso que teremos grande equilíbrio nessa matéria.

P: Quais são os objectivos da equipa para a temporada?

LM: Principalmente fazer melhor que no ano passado! Quer isto dizer que o nosso objectivo é estar na frente em todas as provas. Aspiramos ao sucesso; sabemos que é difícil, mas é assim que estamos a atacar tudo.

P: Onde será a sede da equipa este ano?

LM: A logística será em Verno, onde teremos o nosso departamento de competição, enquanto todo o marketing e parte comercial será feita da nossa sede europeia no Mónaco.

P: Como correu o primeiro teste me Sepang?

LM: O Makoto rodou de forma consistente em menos meio segundo que na temporada passada em Sepang, por isso estamos muito confiantes. Estamos a fazer as coisas com segurança porque o Makoto necessita de dois ou três testes para fazer uma boa avaliação dos pneus. Assim, decidimos estar com muita calma, mesmo se isso significa sermos dois ou três décimos mais lentos que os da frente. Isto porque, o mais importante é estarmos prontos para o arranque da temporada a 10 de Abril em Jerez.

Tags:
MotoGP, 2005

Outras actualizações que o podem interessar ›