Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Scot Racing Team apresentada em Milão

Scot Racing Team apresentada em Milão

Scot Racing Team apresentada em Milão

A Scot Racing Team de Andrea Dovizioso foi apresentada ontem no estádio de San Siro, em Milão. O Campeão do Mundo de 125 passa agora para as quarto de litro para fazer equipa com o estreante nipónico Yuki Takahashi, enquanto Fabrizio Lai e Mike di Meglio lideram a estrutura de 125cc, conhecida como Kopron Racing World Team.

"O primeiro contacto com a moto de 250cc foi algo estranho para mim, já que estava habituado a uma moto mais leve na classe de 125", explicou Dovizioso, que rodará com uma Honda RSW com especificações de fábrica esta teporada. "A 250 é mais potente – é uma grande moto, mas também é mais pesada e tiver de mudar a minha forma de pilotar".

"Durante o Inverno trabalhei muito com a equipa e estou satisfeito com os resultados obtidos. Agora sou capaz de manter um ritmo constante e já entendo como é que esta fantástica Honda funciona".

"Contudo, isso não significa que o Campeonato vai ser fácil. Este ano o pelotão de 250 será o mais forte de sempre. Vai ser muito difícil bater o Campeão Dani Pedrosa, que é rápido e conta com a vantagem de ser mais leve que a maioria dos pilotos. Também há outros pilotos rápidos e com experiência como o de Puniet e o Porto, na Aprilia, eles estão sempre na frente e parecem determinados a lutar pelo título".

"Há outros como o Alex de Angelis, o Lorenzo e o Barberá… Há muitos pilotos que podem almejar o ceptro e espero estar entre eles. Ainda temos lugar para melhoramentos e isso é encorajador, mas por outro lado, temos de contornar o problema de termos poucos dados devido à mudança de classe", adiantou o italiano.

No ano passado o Yuki Takahashi entrou no Camel Grande Prémio do Japão, em Motegi, como wildcard e terminou em quinto na prova. O seu colega considera-o como o melhor piloto japonês da categoria, mas Takahashi matem-se cauteloso quanto à sua primeira temporada nos Grandes Prémios.

"Conheço muito bem a Honda 250 RSW, já que trabalhei no seu desenvolvimento antes de vencer o Campeonato Japonês com ela. Este ano o mais importante será conhecer os circuitos. Terei de o fazer depressa se quero ser competitivo", disse o nipónico.

"Durante os últimos testes oficiais senti-me muito confortável com a equipa, mesmo tendo ainda alguns problemas de comunicação, mas isso é normal. Na Catalunha era tudo novo, mas consegui trabalhar na afinação da moto e recolher dados. Em Jerez dei ainda mais de mim e consegui o nono tempo, mas ainda tenho um longo caminho pela frente e isto é apenas o início do Campeonato".

Tags:
250cc, 2005

Outras actualizações que o podem interessar ›