Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Barros quebra jejum de triunfos e mostra-se senhor da chuva no Estoril

Barros quebra jejum de triunfos e mostra-se senhor da chuva no Estoril

Barros quebra jejum de triunfos e mostra-se senhor da chuva no Estoril

Alex Barros foi o grande vencedor do betandwin.com Grande Prémio de Portugal, segunda prova do Campeonato do Mundo de MotoGP. Uma corrida que começou por ser dominada por Sete Gibernau nas primeiras 16 voltas, mas onde Barros garantiu o domínio da acção de todo o fim-de-semana ao averbar os tempos mais rápidos em cada uma das vezes que os protótipos de 990cc foram para a pista.

Apesar da má largada, o brasileiro da Camel Honda – que chegou a passar pela meta em quarto, no final da primeira volta – soube esperar pela oportunidade e optou, como todos os outros, por se manter em pista e não fazer uso da nova regra de MotoGP que permite a troca de moto assim que seja apresentada a bandeira branca, o que acabou por acontecer à 8ª volta.

O paulista, que já não vencia desde o GP de Valência de 2002 e que já não conquistava uma pole há dois anos e meio, presenteou as várias centenas de brasileiros que o apoiaram no Estoril com uma magnífica demonstração de como se deve pilotar uma máquina a quatro tempos, em condições de chuva com pneus slicks, averbando um triunfo incontestável depois do terceiro lugar conquistado no ano passado.

"Estou muito contente. Foi um fim-de-semana fantástico para mim. Quero agradecer à minha equipa porque fizeram um trabalho fantástico. Tivemos dúvidas em relação a que tipo de pneus utilizar mas no final tudo correu pelo melhor. A corrida foi muito complicada. Perdi algum terreno na largada e quis imediatamente recuperar porque sabia que o Sete queria impor um ritmo muito forte. Quando a chuva começou a cair com mais intensidade, abrandei um pouco mas o Sete também e consegui chegar-me a ele. Depois, quando ele caiu passei para a frente e tentei gerir a vantagem que tinha. Ainda assim, nas últimas voltas, em especial a primeira e segunda curvas, estavam muito escorregadias. Vi que o Valentino tentava recuperar a vantagem e tentei responder. Estou realmente muito satisfeito com esta vitória que já me fugia há algum tempo", afirmou Alex Barros.

Enquanto isso, e com a mestria do homem da Camel Honda a dar por resolvida a situação com grande tranquilidade, o Campeão do Mundo Valentino Rossi viu-se obrigado a entregar a coroa do Circuito do Estoril, que detinha desde 2001, quedando-se pelo segundo posto depois de forte luta com o compatriota Max Biaggi.

"Nunca pensei em trocar de moto. Para isso seria necessário que chovesse mais, já que perde-se cerca de 40 a 50 segundos para entrar e sair das boxes. Não obstante, andar com uma moto destas em pneus slicks no molhado não é fácil. De todas as formas estou muito satisfeito porque estes pontos são um resultado muito bom para nós. No início da corrida tive algumas dificuldades e depois, quando a chuva surgiu, as condições tornaram-se muito arriscadas. Os pilotos necessitavam de perceber que parte da pista estava a chover e onde estava seco. É preciso alguma sorte. No final de tudo, só posso dizer que estou satisfeito", disse Valentino Rossi.

O piloto da Gauloises Yamaha nunca esteve a 100% nos treinos do betandwin.com Grande Prémio de Portugal e isso acabou por se notar, também, ao longo das 28 voltas de corrida, pois nunca conseguiu aproximar-se com perigo do primeiro posto, vendo-se mesmo obrigado a controlar sempre o andamento de "Mad" Max. O italiano da Repsol Honda nunca deu descanso ao seu arqui-rival e esteve perto de beneficiar de um pequeno deslize de Rossi na curva 1 do Circuito do Estoril, já bem perto do fim da corrida. Mas a verdade é que a sorte não bateu à porta de Biaggi e este teve de se contentar com o lugar mais baixo do pódio.

"Desde Jerez já melhorámos muito. Neste momento a moto está muito melhor. Em Espanha tivemos alguns problemas com a electrónica. Quero agradecer á equipa porque trabalhou muito. Agora que estamos cada vez mais experientes, penso que vamos melhorar ainda mais no próximo Grande Prémio. Quando a chuva começou a cair a corrida tornou-se bastante complicada. Apesar de não poder participar com a primeira moto e ter de recorrer á de reserva, esta não me deu problemas. Não é coisa que goste muito, mas pode acontecer em corridas. Julgo que na China estaremos ainda melhor", salientou, Max Biaggi.

Quanto a Gibernau, que queria "vingar" o resultado de Jerez de há uma semana, o desfecho não podia ter sido pior, já que o espanhol, apesar da lesão no ombro, estava a levar a cabo uma prova fantástica. Os outros pilotos a serem tocados pelo azar foram John Hopkins e Franco Battaini, ambos a caírem devido ao estado traiçoeiro em que se encontrava o asfalto do Circuito Estoril.

Tags:
MotoGP, 2005, betandwin.com GRANDE PREMIO DE PORTUGAL, RAC

Outras actualizações que o podem interessar ›