Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Jacque com regresso à competição fantástico na China

Jacque com regresso à competição fantástico na China

Jacque com regresso à competição fantástico na China

Olivier Jacque deu à Kawasaki o seu melhor resultado de sempre na classe rainha das competições de motociclismo, ao obter um magnífico segundo lugar num Grande Prémio da China marcado pela chuva que se fez sentir.

O segundo lugar foi também o melhor resultado de sempre para o francês de 31 de idade na classe rainha. Anteriormente havia sido terceiro no GP de França em Le Mans, em 2003.

Foi efectivamente um resultado estupendo para a estreia de Jacque com a Kawasaki, que substituiu o lesionado Alex Hofmann.

O francês, largando do 15º posto, terminou a corrida de 22 voltas numa dramática luta pela vitória, cruzando a linha de meta a apenas 1,7se do vencedor, e quatro vezes Campeão do Mundo, Valentino Rossi.

Jacque recuperou quase quatro segundos nas últimas cinco voltas numa demonstração quase perfeita de capacidade e controlo da máquina, e que deixa a nu uma vez mais os avanços da Ninja ZX-RR equipada com o novo motor.

O piloto da Kawasaki era já nono na segunda volta e quando passou o espanhol Sete Gibernau no segundo lugar na volta 15, estava 6.1s atrás Rossi.

Na tentativa de ir buscar o italiano, Jacque foi obrigado a ultrapassar as dificuldades sentidas com a viseira do seu capacete que estava embaciada e que tornava impossível ao piloto ler as informações que lhe eram dadas no muro das boxes.

Depois da corrida Rossi disse: "Li que o Olivier vinha para o MotoGP para apenas duas corrida e que a China era para treinar. Agora temos de estar atentos a ele em Le Mans."

O GP da China foi a sua primeira corrida em mais de sete meses. Jacque parecia espantado com o Segundo lugar obtido.

"Estou certo que a equipa do Valentino não tinha o meu nome pronto para colocar na informação de box nas últimas voltas, e mesmo eu ainda não sei como tudo se passou. É magia, e é melhor que vencer o título de Campeão do Mundo.

"Quando cheguei como piloto de substituição na quinta-feira disse que me sentia como um cabelo na sopa mas hoje sinto-me com o peixe na água. Senti-me bem nestas condições, tive boa aderência nos pneus e a minha equipa deu-me uma afinação que me transmitiu muita confiança. É estranho estar aqui no pódio, nem sei mesmo como me sentir."

Na sua ascensão desde 15º na grelha até Segundo na linha de meta, Jacque e a Kawasaki conseguiram igualmente o melhor resultado de sempre para a Bridgestone em MotoGP, em pneus de chuva.

"É um resultado fantástico, e todo o mérito vai para o Olivier que o conseguiu numas condições muito dificeis," disse o director de equipa, Harald Eckl. "Há duas semanas no Estoril vimos que ele ainda tinha o que é preciso para pilotar a este nível, e o resultado de hoje prova que a decisão de o colocar a correr nesta corrida e em Le Mans foi acertada.

Este resultado também prova que os engenheiros da Kawasaki construíram um motor que se adapta a estas condições. Finalmente, devo agradecer ao nosso parceiros dos pneus, Bridgestone, já que realizaram muito trabalho nos seus pneus de chuva e o resultado está á vista."

Tags:
MotoGP, 2005, TAOBAO.COM GRAND PRIX OF CHINA

Outras actualizações que o podem interessar ›