Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Montiron: "O desafio é unir a paixão latina com o método oriental"

Montiron: 'O desafio é unir a paixão latina com o método oriental'

Montiron: "O desafio é unir a paixão latina com o método oriental"

O plano de trabalhos da equipa Konica Minolta Honda foi extraordinariamente afectado no início desta temporada em resultado da lesão do piloto japonês Makoto Tamada. Na medida em que Tamada é o único piloto da equipa, a Konica Minolta Honda relega nele as esperanças de conseguir alcançar os seus objectivos em termos de campeonato do Mundo. Em resultado da lesão deTamada, e consequente incapacidade do piloto participar em alguns GPs, a equipa foi forçada a o substituir no GP da China pelo holandês Jurgen van den Goorbergh. O carácter e personalidade desta equipa, e as suas peculiaridades, dão algo de novo ao paddock de MotoGP. O director de equipa Luca Montiron desvendou alguns dos segredos da equipa

Q: Quais são as vantagens e desvantagens de participar apenas com um piloto?

A: tem vantagens e desvantagens mas se pensarmos bem apenas um piloto pode vencer. A nossa equipa quer continuar a percorrer um caminho muito bem traçado e os nossos patrocinadores deram-nos apoio porque somos diferentes de todas as equipas.

Q: O que é que a diferencia das outras?

A: Nunca antes um patrocinador tão prestigiado como a Konica Minolta investiu numa equipa de motociclismo ou, que me lembre apoiou algum piloto japonês. Penso que o nosso grupo é o juntar de um conjunto de elementos que funcionam, como é o caso da Honda RC211V e um piloto como o Makoto, e graças ao apoio da Konica Minolta a equipa pode desenvolver a sua própria metodologia de trabalho sem um limite de tempo. No entanto, o propósito da equipa é conseguir o máximo de resultados no mais curto espaço de tempo possível.

Q: Qual é a sua opinião acerca do Makoto?

A: No ano anterior e durante os testes de Inverno, o Makoto mostrou claramente o seu potencial, ao bater os seus principais adversários em mais do que uma ocasião. Embora que para vencer um campeonato seja preciso algo mais. Mas alguém com o talento e habilidade que ele tem demonstrado não pode ser menosprezado. O infeliz acidente no Estoril comprometeu parte da temporada, mas isso não afecta o nosso objectivo, que é continuar a trabalhar para mostrar que somos uma alternativa credível á vitória. Ainda que a classificação das três corridas já disputadas nos digam que ainda não o somos.

Q: Qual é a melhor memória do Campeonato?

A: Tive a sorte de já ter trabalhado com todos os pilotos italianos que hoje participam em MotoGP, e com todos eles venci pelo menos uma corrida do Campeonato do Mundo de 250cc. Mas a memória mais simpática é, por ventura o campeonato com o Tetsuya Harada de 1993. Talvez essa a razão de ter uma certa devoção à cultura oriental.

Q: Qual o empenho que a equipa colocou neste projecto?

A: faço o meu trabalho com muita paixão e o objective é unir a paixão latina com o método oriental, e de certa forma fundir estas duas culturas. Estou convencido que tomamos a decisão certa ao escolhermos o Makoto para 2005; em resultado disso mesmo a nossa equipa respira um ar diferente. Criámos algo de único com esta equipa e o Makoto.

Tags:
MotoGP, 2005, GRAND PRIX ALICE DE FRANCE

Outras actualizações que o podem interessar ›