Compra de bilhetes
VideoPass purchase

MotoGP estaciona na Catalunha para sexta jornada

MotoGP estaciona na Catalunha para sexta jornada

MotoGP estaciona na Catalunha para sexta jornada

O paddock do Campeonato do Mundo de MotoGP foi montado em tempo recorde esta semana com o campeonato a preparar-se para a segunda jornada consecutiva em apenas oito dias, como Gauloises Grande Prémio da Catalunha. Enquanto vários camiões e motorhomes vieram de Mugello para o circuito atravessando Itália, França e um pouco da Espanha por estrada, a maior parte das 260 toneladas de equipamento das equipas e organizadores foi despachado de barco, atravessando o Mediterrâneo a partir do porto de Civitavecchia rumo a Barcelona.

As equipas trabalharam arduamente desde a sua chegada na tarde de terça-feira para prepararem os seus escritórios ambulantes, boxes e motos a tempo desta jornada que tem início com os treinos livres na manhã de sexta-feira com as motos de 125cc. Para alguns pilotos os últimos dois dias ofereceram a rara oportunidade de descanso antes de mais um fim-de-semana intenso, enquanto para outros as exigências do Grande Prémio já começaram.

Em particular para o favorito da casa, Sete Gibernau, vice-Campeão do Mundo nas duas últimas temporada, que tem estado debaixo das atenções depois da queda em Mugello lhe ter, praticamente, arruinado as esperanças de desafiar Valentino Rossi na luta pelo ceptro este ano. O espanhol está de regresso à sua cidade de Barcelona para participar, hoje, num jogo de futebol com fins caritativos em conjunto com o colega de equipa Marco Melandri e contra uma formação de estrelas espanholas, tendo-se recusado a admitir o campeonato já está fora do alcance.

"O objectivo para fim-de-semana é mostrar que qualquer pessoa que tenha pensado que o campeonato já estava acabado está errado", disse Gibernau que está em quarto no campeonato, atrás de Rossi, Melandri e Biaggi. "Barcelona é uma prova importante para mim, mas no final é uma corrida como outra qualquer onde tenho de ganhar".

Do outro lado da cidade um grupo de rivais de Gibernau no MotoGP estiveram a passear por Barcelona, visitando alguns dos mais famosos monumentos da cidade como a Sagrada Família, desenhada pelo lendário Antoni Gaudí. Ruben Xaus, Alex Barros e Kenny Roberts, todos com residências na zona, visitaram a famosa catedral num início de fim-de-semana tranquilo.

Mais tarde, os pilotos juntaram-se no Circuito da Catalunha, na região Norte da capital da Catalunha, montando a estratégia para baterem Valentino Rossi pela segunda vez este ano. "É claro que o Sete vai tentar tudo para vencer aqui, por isso vou ter de manter o máximo de concentração", prevê Rossi. "No ano passado foi uma corrida muito dura e de alto nível. Rodámos a um ritmo muito forte – o Sete e eu terminámos com mais de dez segundos de vantagem sobre os outros. De momento ele não é o meu principal rival em termos de campeonato porque o Melandri e o Biaggi estão mais perto, mas ele vai ser muito perigoso no seu circuito. Só espero estar na frente, não interessa com quem, e dar bom espectáculo".

Quem se junta a Rossi e à Yamaha é Toni Elias que planeia voltar a correr apenas três semanas depois de ter fracturado pulso e perna no acidente de Le Mans. Elias teve luz verde por parte do Dr. Xavier Mir, que o operou na Clínica Dexeus em Barcelona. Enquanto isso, Olivier Jacque foi confirmado pela Kawasaki como piloto de testes a tempo inteiro para o resto da temporada em consequência dos resultados apresentados quando substituiu Alex Hofmann em Xangai e Le Mans. Jacque também vai correr em Sachsenring e Valência como wildcard no final do ano.

Tags:
MotoGP, 2005, GRAN PREMI GAULOISES DE CATALUNYA

Outras actualizações que o podem interessar ›