Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Uma volta ao circuito de Assen

Uma volta ao circuito de Assen

Uma volta ao circuito de Assen

Delineado no início com 28 km em estradas públicas, o circuito de Assen foi reduzido em 1955 e novamente em 1984, altura em que sofreu também um alargamento. De certa forma, Assen é o Avô dos actuais circuitos de MotoGP e continua a ser o mais longo actualmente em utilização com os seus 5,997 km.

Com 23 curvas distintas e muitas mais variações de direcção subtis, bem como ângulos de inclinação, é, possivelmente, o maior desafio cerebral de pilotos e equipas.

Apesar das rápidas e fluidas curves de velocidades média elevadas, a potência pura não é factor determinante em Assen. Boa entrega de potência e resposta linear do acelerador são essenciais à afinação, mas o camber é um dos factores mais importantes em Assen, um circuito que imita as características de uma vulgar estrada, bem mais que os restantes traçados do calendário do MotoGP.

Com grande pendor na "estrada", as grandes variações que se verificam em Assen significam que o camber pode ir de positivo a negativo e de novo positivo numa simples sequência de curvas.

Esta característica única de Assen não exige apenas controlo do acelerador por parte do piloto quando muda os cambers, mas também uma suspenso capaz de lidar com as constantes alterações ao longo da pista, isto só para não falar em todo o chassis que tem de oferecer estabilidade e agilidade a alta velocidade.

Uma recente alteração à pista trouxe mais uma complicação à afinação. A dupla Duikersloot, apertada e trazida para dentro para melhorar a escapatória, tem agora um camber muito baixo, facto que pode atraiçoar pilotos que se esqueçam que neste ponto não têm a ajuda dos cambers positivos que têm em quase toda a pista.

Para o 75º Gauloises TT Assen, as curvas De Bult e Ruskenhoek foram modificadas, deixando antever as importantes alterações a levar a cabo em 2006 no Loop Norte, que ficará mais curto.

A prestação dos pneus é outra chave em Assen. Os cambers ajudam a melhorar a aderência na maior parte dos casos e com um asfalto aderente, mas não muito abrasivo, Assen não é das pistas mais duras nos pneus. Contudo, o pneu frontal é particularmente importante devido às muito frequentes entradas rápidas em curva. As travagens são feitas com frequência a meio das curvas para reduzir a velocidade, por oposição a uma redução mais brusca, mantendo importante equilíbrio na máquina.

Tags:
MotoGP, 2005, GAULOISES TT ASSEN

Outras actualizações que o podem interessar ›