Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Uma volta ao circuito de Laguna Seca

Uma volta ao circuito de Laguna Seca

Uma volta ao circuito de Laguna Seca

O tão esperado regresso do Campeonato do Mundo de MotoGP aos Estados Unidos está a poucos dias de distância com a famosa pista de Laguna Seca totalmente preparada para receber a categoria rainha do motociclismo pela primeira vez desde 1994.

O circuito de 3,6 km e 11 curvas é visto como um dos mais técnicos e exigentes e promete proporcionar grandes emoções aos 150.000 espectadores esperados este fim-de-semana, bem como à sempre crescente audiência televisiva internacional, com o MotoGP a ser transmitido a nível mundial em 47 canais.

O motogp.com oferece-lhe um primeiro olhar às emoções da pista californiana com uma das estrelas do Grande Prémio de 1993, num conjunto de imagens a bordo da Cagiva do vencedor desse ano, John Kocinski.

O circuito de Laguna Seca foi inaugurado em 1957 numa pequena planície 250mts acima do nível do mar a 12 Km a este de Monterei no Estado da California.

Este circuito sofreu apenas pequenas alterações ao longo dos anos, mas mais recentemente algumas áreas foram remodeladas para cumprir com a regulação de segurança imposta pela Federação Internacional do Motociclismo. O traçado não foi alterado mas as zonas de escapatória e os níveis de segurança foram elevados tendo em atenção a corrida de MotoGP.

A configuração da pista é algo peculiar, com curves que não se encontram em qualquer outro circuito do Campeonato do Mundo. A zona mais célebre do circuito é, sem dúvida a "Corkscrew", uma chicane muito lenta negociada a aproximadamente 60 Km/h e situada numa descida capaz de provocar vertigens se feita a pé!

Outro ponto do circuito a merecer referência é a recta da meta que é muito curta e que contém ainda duas pequenas mudanças de direcção, ao que se junta o facto de imediatamente antes da segunda mudança de direcção existir uma irregularidade no asfalto que fará com que as motos levantem do chão a quase 270 Km/h. Este será um dos pontos a ter atenção, já que é uma zona da pista particularmente perigosa, mas também uma que vai fazer a diferença entre os pilotos.

Antes da "Corkscrew" há outra irregularidade na pista que fará com que as motos percam contacto com o asfalto, sendo imediatamente antes do ponto de travagem para a "Corkscrew".

A descida após a "Corkscrew" é igualmente muito espectacular com duas curves rápidas a serem negociadas a 135 km/h, indo dar a uma outra curva lenta feita a 60 Km/h, que por sua vez dá acesso à recta da meta. Este pode ser um bom ponto de ultrapassagem.

No que toca à afinação da moto para Laguna Seca, devem ser utilizadas relações de caixa pequenas, possivelmente as mais pequenas de todo o Campeonato do Mundo. As velocidades das motos na recta da meta são relativamente baixas e andam na casa dos 280 km/h, sendo que algumas curves são feitas a menos de 70 Km/h, é pouco provável que as equipas optem por uma caixa de seis velocidades. É mais provável que utilizem apenas cinco mudanças, sendo que a sexta será redundante (normalmente, em situações em que nem todas as mudanças são utilizadas, é a primeira que costuma ser redundante).

Nas motos de MotoGP em que a potência é distribuída em baixas rotações, podem ser utilizadas cinco mudanças sem que se perca aceleração e também se poupa valiosos milésimos de segundo ao eliminar uma desnecessária mudança de caixa na recta da meta.

No que toca às suspensões, sera utilizada uma forquilha dianteira forte para aguentar a forte travagem no "Andretti Hairpin" e na "Corkscrew" e também na curva que dá aceso à recta.

Tags:
MotoGP, 2005, RED BULL U.S. GRAND PRIX

Outras actualizações que o podem interessar ›