Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Goubert, da Michelin, fala sobre Sachsenring

Goubert, da Michelin, fala sobre Sachsenring

Goubert, da Michelin, fala sobre Sachsenring

A Michelin tem tido grande sucesso no Grande Prémio da Alemanha. Desde a sua reunificação a marca francesa de pneus já venceu por 13 vezes em 14 possíveis, tendo apenas sido batida no primeiro GP da Alemanha em 1991.

Estas vitórias foram alcançadas em três circuitos diferentes – Hockenheim, Nurburgring e Sachsenring. O actual traçado de Sachsenring recebeu o seu primeiro GP em 1998, mas já submetido a várias alterações. O desenho actual da pista data de 2001, o último ano das 500cc. Desde então as super rápidas a 4 tempos retiraram 1m10s ao recorde da corrida!

"É um dos traçados mais lentos e a primeira secção é tão lenta que nem se adapta a uma máquina de MotoGP", diz Nicolas Goubert, responsável pelo departamento de motociclismo de competição da Michelin. "Há uns anos atrás (2000), antes da pista ser alargada, o recorde por volta das 250cc era mais rápido que das 500cc. Por isso, a potência não é crucial, a agilidade e velocidade em curva é muito mais importante".

"E o nosso novo pneu traseira, que melhorou muito os tempos por volta esta temporada, deve ajudar-nos em Sachsenring porque há muitas curvas longas com os pilotos nos limites do pneu durante muito tempo. A aderência nas extremidades é o mais importante na performance de um pneu nesta pista, aceleração e tracção não tanto. A nossa construção de 2005 oferece melhor estabilidade e grande resistência nas extremidades do pneu. Mas ainda temos de melhorar – os pilotos estão sempre a pedir mais aderência nas extremidades porque querem andar sempre mais rápido. É um pedido constante!"

"Corremos com pneus de composto duplo aqui, muito assimétricos porque há dez esquerdas e apenas quatro direitas. Apesar da resistência poder ser crucial do lado esquerdo do pneu, gostávamos de conseguir outro recorde de volta no final da corrida, mas creio que será muito difícil apenas porque as esquerdas afectam muito ambos os pneus. O traseiro é o que trabalha mais porque não há muitas travagens fortes, por isso o frontal não representa grande preocupação".

"Depois da corrida de MotoGP as equipas têm umas merecidas férias e penso que esta paragem obrigatória é muito importante. Depois da corrida de domingo vamos logo começar a pensar nos pneus que vamos utilizar em Brno, só depois é que se começa a fazer o pneu na fábrica enquanto nós descansamos um pouco".

Tags:
MotoGP, 2005, ALICE MOTORRAD GRAND PRIX DEUTSCHLAND

Outras actualizações que o podem interessar ›