Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Dan Linfoot comenta estreia promissora nos GP's

 Dan Linfoot comenta estreia promissora nos GP's

Dan Linfoot comenta estreia promissora nos GP's

A maior parte dos Grandes Prémios oferecem a oportunidade a vários pilotos locais de se misturarem com os nomes mais habituais do Campeonato do Mundo e, assim, tentarem causar boa impressão no paddock com o objectivo de garantirem um lugar a tempo inteiro no motociclismo ao mais alto nível. As entradas como wildcards servem muitas vezes para os pilotos verem o que é preciso para alinharem no Mundial, mas são também oportunidades para se descobrir novos talentos.

Desde o início da temporada foram já 30 os pilotos a experimentarem as emoções das 125cc, mas até ao momento apenas um conseguiu um resultado entre os dez primeiros: Dan Linfoot, 17 anos, tirou o melhor partido das condições de pista molhada em Donington Park para terminar em nono numa corrida muito acidentada. O motogp.com falou com o jovem britânico, actual terceiro classificado no Campeonato Inglês de 125cc.

Qual é o teu passado competitivo, quando é que começaste a correr?

Comecei a correr nas mini-motos aos 13 anos. Competi em vários campeonatos e tornei-me campeão da ACU Nacional 4.2cv Sénior "A" e fui terceiro no Campeonato de Mini-motos 4.2 de Inglaterra.

Em 2003 passei para as Aprilia 125cc Produção. Terminei a época como vencedor da corrida "Stars of Darley" em Darley Moor. Fui segundo no Campeonato Auto66 Formula 125cc e terceiro no Campeonato Darley Moor Formula 125cc.

A temporada de 2004 marcou a minha estreia numa moto 125GP. Competi no Campeonato Inglês de 125GP, tendo como melhor resultado o nono lugar em Croft e terminei a época em 24º. Fui também o vencedor do Campeonato North East Motorcycle Racing Club 125GP.

Tens algum piloto de MotoGP que vejas como o "exemplo a seguir"?

O meu herói de todos os tempos é o Valentino Rossi. Desde pequeno que o vejo correr e sempre respeitei a sua habilidade aos comandos de uma moto. Só espero um dia ser tão bom como ele!!!

Como é que tem sido a temporada até agora?

Tem tido os seus altos e baixos até agora. Comecei bem com um forte sétimo lugar em Brands Hatch. Em Thruxton não consegui terminar devido a problema mecânico. As quatro jornadas seguintes terminei no pódio, em segundo, o que me fez subir no campeonato. Knockhill e Snetterton foram rondas para esquecer. Na primeira caí na 13ª volta quando estava em quinto, e na segunda a moto parou à 4ª volta. Mesmo assim, a temporada tem sido difícil. Mas ainda sinto que estou bem posicionado para vencer o Campeonato Inglês de 125GP.

O GP de Inglaterra foi a quarta corrida do Campeonato do Mundo. Como é que conseguiste a oportunidade de correr e qual foi a primeira reacção que tiveste quando soubeste que ias alinhar num GP?

Foi devido ao meu sucesso no Campeonato Inglês que tive a oportunidade de correr, já que era o terceiro no campeonato e era um dos possíveis para wildcard. Quando tudo se confirmou quis logo ir para o paddock e misturar-me com os melhores do mundo para ver o que podia aprender com a experiência deles. É claro que gostei muito e fiquei muito excitado por ter sido escolhido, e isto tudo ainda antes do evento.

Achas que Donington foi o melhor sítio para a tua estreia em GP's? Gostas da pista?

Adoro o circuito de Donington Park, parece ter um pouco de tudo. Tem curvas apertadas e lentas, mas também tem outras mais fluidas e rápidas. Contudo, ó tinha corrido em Donington uma vez antes do GP. Preferia ter sido wildcard num traçado espanhol onde as condições climatéricas são, geralmente, melhores! Mas gosto do molhado e geralmente até me dou bem com essas condições.

Ficaste impressionado com esta tua primeira experiência nos GP's enquanto wildcard? O que é que te impressionou mais?

Fiquei embasbacado desde que entrei no paddock. O padrão competitivo é excelente e aprendi muito. Depois de estar envolvido numa jornada do Mundial sinto que agora, com mais experiência, posso correr de forma ainda mais competitiva no futuro. O que me impressionou mais foi o profissionalismo mostrado por todos durante o evento.

Terminar no Top 10 é um grande feito e foste o único wildcard a faze-lo desde o início do ano. Fala-nos da corrida!

No início da corrida a minha moto cortou à saída da linha devido a um problema no depósito de combustível. Isto prejudicou-me e no final da primeira volta estava atrás de outros wildcards. Continuei a dar o meu melhor e consegui apanhar o Christian Elkin mesmo na altura em que mostraram as bandeiras vermelhas devido à chuva e numa altura em que era 34º. Sabia que se a corrida fosse considerada molhada teria a possibilidade de lutar por uma boa posição e cumprir o meu objectivo de terminar como o melhor classificado entre os pilotos ingleses. No warm-up tinha sido 11º, por isso sabia que era capaz de terminar bem classificado.

Quando a corrida recomeçou fiz uma boa largada e dei por mim no meio de vários pilotos do Campeonato do Mundo. Passei todos um por um até dar por mim em 11º. Depois houve alguns pilotos que caíram, o que me fez passar para nono e me deu a oportunidade de lutar pelo 8º lugar com o Joan Olive. A minha moto parecia estar a mover-se muito no molhado, por isso, quando faltavam três voltas para o final, disse a mim próprio "tens de garantir que te aguentas e levas a moto até ao fim". Quando passei a linha de meta vi a minha equipa aos saltos e a festejar, o que valeu por todo o fim-de-semana.

Foi o melhor momento competitivo da minha carreira.

Qual é o teu calendário para o resto da época?

No Campeonato Britânico não faço parte de nenhuma equipa, os meus pais financiam e apoiam-me durante toda a temporada. Por isso, para mim o plano para o resto da época é completar o Campeonato de Inglaterra de 125GP e tentar vencer. Se o dinheiro o permitir ainda quero alinhar em duas jornadas do Campeonato de Espanha de 125GP.

Tens planos para o próximo ano? Queres passar para o Campeonato do Mundo de 125cc num futuro próximo?

Os planos para a próxima época passam por correr no estrangeiro com uma equipa de 125GP. Adorava fazer o Mundial de 125 a tempo inteiro e fazer disso a minha carreira, mas para o conseguir tenho de estar inserido numa equipa.

Tags:
125cc, 2005, Dan Linfoot

Outras actualizações que o podem interessar ›