Compra de bilhetes
VideoPass purchase

História da Yamaha de 1955 a 2005 – Parte 3

História da Yamaha de 1955 a 2005 – Parte 3

História da Yamaha de 1955 a 2005 – Parte 3

1963-1964: Os primeiros GP e Campeonato do Mundo da Yamaha

Se a a ascensão da Yamaha ao domínio no panorama das corridas japonesas foi meteórica, a marca dos três diapasões também não demorou muito a conquistar o Campeonato do Mundo de 250cc. O construtor ganhou o primeiro GP em 1963 e conquistou o seu primeiro título mundial no Verão seguinte.

A Yamaha estreou-se nos Grandes Prémios em Clermont-Ferrand, em Maio de 1961, averbando resultados nos oito primeiros nas 125 e 250 com as bastante básicas RA41 mono-cilíndrica e RD48 bi-cilíndrica. Nada mau se tivermos em conta que esta foi a primeira incursão séria da equipa em pistas totalmente compostas de asfalto e que a sua primeira incursão nos GP's tinha sido bastante humilde. A primeira equipa Yamaha de GP's não tinha filial europeia, contava apenas com três camiões a cruzar o Continente e transportando 13 pilotos, equipa técnica, motos e peças. E na altura a comunicação com a outra parte do mundo não era fácil – a única ligação das saudosas equipas a Iwata era feita através de telefonemas e telexes de fraca qualidade, enquanto as peças eram encomendadas e levantadas em aeroportos por toda a Europa.

A Yamaha ficou de fora na temporada de 1962, regressando na Primavera seguinte com uma 250 totalmente nova. Desenvolvida com base na RD48, a RD56 foi a primeira moto da marca verdadeiramente competitiva. Esta bi-cilíndrica arrefecida a ar e com discos de válvula produzia uns impressivos 55 cavalos às 11.500 rpm e utilizava um chassis de aço com duplo loop do tipo "Featherbed".

Era, simultaneamente, rápida e fácil de controlar. Fumio Ito garantiu segundos lugares nas duas primeiras corridas, averbando depois o primeiro triunfo da Yamaha no Grande Prémio disputado em Spa-Francorchamps, liderando o colega de equipa Yoshikazu Sunako rumo à dobradinha.

A vitória seguiu-se a uma noite em branco para resolver um problema de carburação que afectava a RD56 nas rectas de Spa feitas fundo. Ito, que já tinha provado o que valia nas pistas de terra de Fuji e Asaka, venceu a uns impressionantes 189 km/h. Depois da corrida, o Director Desportivo Hiroshi Naito disse: "Os motores são coisas vivas, sinto isto cada vez mais".

Uns meses mais tarde a Yamaha deu o paço para a glória global contratando o britânico Phil Read para a temporada de 250cc de 1964. A nova relação deu frutos depressa com Read a vencer cinco GP's e roubando, com tranquilidade, a coroa de pilotos a Jim Redman e a de construtores à Honda, repetindo o feito em 1965. A Yamaha era agora uma grande força mundial.

Tags:
MotoGP, 2005

Outras actualizações que o podem interessar ›