Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Pilotos da Ducati Marlboro desejosos por correr em casa da Bridgestone

Pilotos da Ducati Marlboro desejosos por correr em casa da Bridgestone

Pilotos da Ducati Marlboro desejosos por correr em casa da Bridgestone

Depois do segundo posto conquistado em Brno, Loris Capirossi, da Ducati Marlboro, vem para o Japão em alta. O italiano está confiante em mais uma forte corrida nesta ronda caseira da Bridgestone, principalmente depois do fabricante japonês ter dado importantes passos em frente. O colega de equipa Carlos Checa também está determinado em apresentar bom resultado no Japão.

"As características de Motegi devem funcionar bem para os nossos pneus – os Bridgestone trabalham muito bem em curvas apertadas e curtas onde rodamos com inclinação média", diz Capirossi, que terminou no pódio em Motegi em 2001 e 2002, além de ter largado da pole em 2001. "Fizeram excelente trabalho recentemente e têm muita experiência de vitória em Motegi, por isso penso que podemos ter bom fim-de-semana".

"A pista deve ser boa para a nossa moto também – é daqueles tipos de lugares onde aceleração e travagem são o mais importante. O motor da Ducati tem sido sempre muito forte e penso que o sistema de travagem de motor é melhor que há. Gosto de Motegi – apesar de ser apenas acelerador a fundo, travão, acelerador a fundo, travão – por isso estou desejoso. Não tivemos o melhor arranque de temporada, por isso quero mesmo obter alguns bons resultados nas últimas corridas".

O colega de equipa Carlos Checa também está desejoso por brilhar no Twin Ring Motegi; o espanhol impressionou na qualificação da República Checa ao largar da segunda linha, mas a escolha erradas de pneus arruinou-lhe o ritmo de corrida.

"Foi frustrante, mas faz parte da corrida – por vezes não escolhemos o melhor pneu", explica o espanhol. "O mais importante é que agora estamos competitivos e espero tornar isso em bons resultados durante as próximas seis corridas".

"Motegi é uma pista de acelerações de travagens, o que é muito duro para os travões, por isso precisamos de muita estabilidade no sistema de travagem para termos confiança na parte da frente quando travamos forte à entrada das curvas para as fazermos depressa. Também há muita aceleração, o que é bom quando temos muita potência e disso temos muito".

"Também espero que os Bridgestone ofereçam grande aderência porque eles conhecem bem a pista. Com os pneus é sempre uma luta entre performance e durabilidade. No início do ano tínhamos performance em algumas corridas e durabilidade noutras, mas a Bridgestone fez grandes melhoramentos, por isso agora temos os dois. Isto apesar de ainda termos algumas corridas pela frente para vermos se temos performance consistente de uma pista para outra".

Tags:
MotoGP, 2005, GRAND PRIX OF JAPAN, Ducati Marlboro Team

Outras actualizações que o podem interessar ›