Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Uma volta ao circuito de Sepang

Uma volta ao circuito de Sepang

Uma volta ao circuito de Sepang

O calendário de MotoGP chega a um dos mais longos e mais complicados circuitos no Campeonato do Mundo. Sepang é um dos traçados mais exigentes, tanto em termos técnicos como para os pilotos. Além de ser muito longo, as extremas condições climatéricas da região fazem com que competir aqui seja muito difícil. A temperatura do ar ronda os 38º, a da pista 60º e a humidade chega aos 75%, o que significa um grande desafio para os pilotos.

A pista de Sepang combina ainda zonas rápidas e lentas. Há três curvas que se fazem apenas a 60 km/h, enquanto nas rectas se pode ir além dos 305 km/h. Há sectores da pista onde a agilidade da moto é crucial, mas há outros onde a moto tem de ser muito estável para conseguir fazer as curvas a mais de 170 km/h. Como é habitual neste desporto, é impossível encontrar a afinação ideal para exigências tão diferentes, por isso é necessário encontrar uma situação de compromisso que permita bons resultados.

A afinação da suspensão é complicada em Sepang. Uma série de zonas de fortes travagens levara-nos ia a montar molas duras à frente, mas como há uma zona de piso irregular na pista que prova muitas vibrações, acabam por se utilizar molas mais moles do que se poderia querer para se absorverem os problemas das vibrações. Na suspensão traseira o mais importante é a aderência.

Dependendo da quantidade de aderência da pista no início, normalmente utilizam-se molas mais moles para começar com mais aderência traseira. Contudo, é normal os níveis de aderência aumentarem após o primeiro dia de treinos, pelo que se montam, então, molas mais duras atrás para se poder atacar as curvas feitas a quase 180 km/h.

A afinação da caixa de velocidades é crucial nesta pista dado a grande diferença que existe entre as zonas rápidas e lentas de cada volta. Utiliza-se uma primeira velocidade muito curta e a sexta relativamente longa para se chegar perto dos 325 km/h. Com duas rectas longas, começadas em segunda e concluídas em sexta, é muito importante encontrar a relação correcta entre cada mudança. Para isto é importante ter em conta que 25% da volta é feita nestas duas rectas. As mudanças mais importantes são a segunda e a terceira, já que todas as curvas com excepção da 3 são feitas nestas velocidades.

As condições climatéricas são muito extremas em Sepang e as motos têm de ser preparadas de forma especial para aumentar a eficiência da refrigeração do motor. Para se alcançar este objectivo os radiadores têm maior capacidade que o normal. A escolha de pneus é outro ponto muito relevante em Sepang. As duas rectas seguidas com quase 1 km cada exigem muito das borrachas, de tal forma que já se viu pneus rebentarem por completo devido às elevadas temperaturas no seu interior. Os técnicos da Michelin e da Bridgestone vão tomar em linha de conta os dados recolhidos durante os testes de pré época aqui em Sepang.

Tags:
MotoGP, 2005, MARLBORO MALAYSIAN MOTORCYCLE GRAND PRIX

Outras actualizações que o podem interessar ›