Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Pilotos Camel Honda recordam fim-de-semana complicado

Pilotos Camel Honda recordam fim-de-semana complicado

Pilotos Camel Honda recordam fim-de-semana complicado

O GP do Qatar foi difícil para os pilotos da equipa Camel Honda, já que o brasileiro Alex Barros não conseguiu acertar com a afinação da sua RC221V enquanto que Shane Byrne, que uma vez substituiu o lesionado Troy Bayliss, ainda está em processo de aprendizagem de uma moto V5.

Depois de dois dias de treinos em Losail particularmente difíceis para Barros, o brasileiro realizou uma corrida sem grandes sobressaltos, mas foi incapaz de se envolver na luta pelas posições cimeiras. O brasileiro estava em 14º no final da primeira volta, tendo acabando a corrida em nono.

"Penso que o Qatar foi o nosso pior fim-de-semana do ano, não obstante ter terminado entre os dez primeiros e mesmo ter conseguido passar alguns pilotos em pista," comentou Barros. "Para ser honesto, nunca consegui ter confiança para lutar por um resultado melhor e claro que isso não me deixa satisfeito. Não gostei, porque era muito lento, e não podia lutar pelos lugares da frente e isso deixa-me frustrado. A moto parecia estar a funcionar bem. Trabalhámos muito e encontrámos uma boa afinação. Infelizmente não consegui encontrar um pneu da frente que me servisse nesta pista. Espero que na Austrália onde as condições são diferentes e é mais fresco, a Michelin nos possa ajudar a encontrar uma solução para este problema."

Shane Byrne, que tem registado significantes progressos com a Honda em apenas duas semanas, e numa pista onde nunca havia pilotado antes, foi 13º depois de, também ele, realizar uma corrida sem sobressaltos.

"De certo ponto de vista tenho de estar satisfeito com esta corrida, mas no geral não estou contente," admitiu o britânico. "Estivemos muito próximo do restante pelotão, mas na corrida tive muitos problemas com a frente. Ainda assim a equipa tinha fito um trabalho fantástico na afinação do resto da moto. Chassis, suspensão, pneu traseiro, tudo estava perfeito, mas assim que comecei a forçar o ritmo vi que iria ter problemas com o pneu dianteiro. Sentia que poderia ser mais rápido, mas sempre que tentei, arriscava uma queda. É pena porque, após os treinos que fizemos, pensava que poderíamos ficar no ‘top ten'."

Tags:
MotoGP, 2005, MARLBORO GRAND PRIX OF QATAR

Outras actualizações que o podem interessar ›