Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Os pilotos da Ducati Marlboro anseiam por Phillip Island

Os pilotos da Ducati Marlboro anseiam por Phillip Island

Os pilotos da Ducati Marlboro anseiam por Phillip Island

A equipa Ducati Marlboro voltou a estar na ribalta do MotoGP desde o GP da República Checa, ao conquistar três pole positions, duas vitórias, um segundo lugar e um terceiro nas últimas quatro corridas.

Depois de sofrerem com o calor do Qatar, Loris Capirossi e Carlos Checa quererão voltar a brilhar na próxima semana em Phillip Island no Polini Australian Grand Prix.

Capirossi sempre gostou de Phillip Island, desde que venceu o seu primeiro título mundial na sua primeira visita ao circuito, em 1990. Desde então, sempre tem tido sucesso naquela pista, incluindo pódios nos dois últimos GPs da Austrália. Além disso é detentor da volta mais rápida ao circuito.

"Adoro Phillip Island, desde que o tempo esteja bom," diz Capirossi. "Sempre gostei de curves rápidas e Phillip Island tem muitas. As minhas favoritas são a um e três e a subida de Lukey Heights. A única que não gosto é a curva Honda! É o tipo de pista onde o piloto pode fazer a diferença. Também é boa para a nossa Desmosedici, sempre fomos rápidos naquele circuito, pelo que espero conseguir lutar pelos primeiros lugares como o fomos em Motegi e Sepang. A Bridgestone tem feito um trabalho excelente, pelo que vamos esperar para ver que pneus trazem para esta corrida. Espero que consigamos ter um bom equilíbrio porque quero o segundo lugar no campeonato!"

O seu colega de equipa, Carlos Checa, fez 33 no sábado em Phillip Island, pelo que o espanhol quererá festejar obtendo o melhor resultado possível na corrida de domingo.
"Phillip Island é uma pista muito boa, sendo que a única coisa que pode estragar este próximo fim-de-semana é o tempo," diz Checa que já pilotou a Desmosedici naquela pista nos testes de Inverno. "A principal característica do circuito são as curves rápidas, e a subida para Lukey Heights é particularmente perigosa porque há muitas subidas de direcção. O resto da pista não é assim tão difícil, embora o pneu traseiro seja muito solicitado, em especial por causa das duas últimas esquerdas. As corridas são sempre competitivas naquela pista, o é o bom para o espectáculo. Melhoramos muito nas últimas corridas com a Bridgestone. É bom sentir que podemos voltar a disputar os primeiros lugares, ainda que no Qatar nos faltasse qualquer coisa. Como em todo o lado, muito depende dos pneus, pelo que vamos trabalhar com a Bridgestone para ter o melhor pneu."

Tags:
MotoGP, 2005, POLINI AUSTRALIAN GRAND PRIX, Ducati Marlboro Team

Outras actualizações que o podem interessar ›