Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Dani Pedrosa, um campeão com vontade de aprender no MotoGP

Dani Pedrosa, um campeão com vontade de aprender no MotoGP

Dani Pedrosa, um campeão com vontade de aprender no MotoGP

Campeão do Mundo de 125cc em 2003, Campeão do Mundo de 250cc em 2004 e Campeão do Mundo de 250cc em 2005. Com este palmarés, o jovem Dani Pedrosa - 20 anos -, chega ao MotoGP tendo à sua frente o maior desafio da carreira até ao momento. Adaptar-se á nova moto, uma máquina com mais de 200 CV de potência e um peso muito superior ao da sua anterior Honda RS250RW. Trata-se de um objectivo que Dani tem forçosamente de cumprir se quiser ser competitivo na classe rainha.

Que balanço fazes destes três dias de testes em Sepang?

O balanço é positivo. Notei uma melhoria em relação aos testes anteriores, basicamente porque rodei mais com a moto, e com isso ter feito mais quilómetros. Agora tenho um pouco mais de experiência, conheço um pouco mais a moto e as exigências necessárias para conseguir ser-se rápido nesta categoria. No final da sessão saí para a pista com pneus de qualificação – foi a primeira vez que pude experimentar pneus com estas características -, e a verdade é que ainda tenho de me habituar ao seu comportamento, e como tal não consegui aproveitar todo o seu potencial. Mesmo assim consegui o meu melhor registo com esses pneus.

Fisicamente como te encontras depois destes três dias a testar?

Estou um pouco cansado, porque a exigência é bastante grande e sinto que não estou ainda a 100% preparado. Em algumas zonas das mãos a pele estava levantada e isso fazia com que fosse difícil pilotar a moto nos limites. Mas em relação a Novembro, acho que melhorei e espero continuar assim daqui para a frente. Agora tenho alguns dias para descansar antes de voltar à pista na Austrália.

A Honda está a fazer tudo para que tenhas a moto que queres e que te sintas cómodo a pilotar. Estás satisfeito com o que foi conseguido nesse campo até agora?

Sim, estou muito contente porque vi que todos estão muito empenhados em consegui-lo, tanto os mecânicos como os engenheiros. Todos estão a dar o máximo e devo dizer que nunca antes tinha visto uma fábrica tão empenhada num projecto como este ano. Todos estão motivados e envolvidos e isso permite que a vontade de vencer seja enorme.

O objectivo deste teste não eram os tempos, mas mesmo assim conseguiste obter bons registos. Estás satisfeito?

Melhorámos de dia para dia e isso deixou-me muito satisfeito. Em relação ao resto estou contente, ainda que penso que isso não seja o mais importante.

Já referiste que o que fizeste até ao momento foi acumular quilómetros, adaptares-te à moto, encontrar uma posição confortável, evitando de momento preocupares-te com os pneus e electrónica, entre outros aspectos. O que mais te custou até ao momento?

Controlo um pouco melhor a embraiagem, mas custa-me virar, alternar o peso da moto, colocá-la bem à entrada das curvas, controlar a derrapagem... Rodei tanto com pneus novos como usados e noto que quanto mais gastos estão, mais desgaste se torna fisicamente porque tens de fazer mais força encima da moto. Também experimentei pneus de qualificação e a sensação foi totalmente nova para mim. Foi diferente, difícil de explicar. A aderência era muito maior do que um pneu normal, mas também não pude aproveitar muito os pneus. Era já tarde e tive um pouco de medo, porque não queria arriscar uma queda. Foi mais uma experiência.

Nestes três dias estiveste com alguns dos melhores pilotos de MotoGP. O que foi que mais te impressionou na forma deles pilotarem e o que pudeste aprender?

De facto, apenas andei em pista com o Hayden durante algumas voltas, já que os restantes vi-os de longe. Foi uma experiência positiva porque pude ver trajectórias diferentes e corrigir o meu ângulo de abordagem a algumas curvas.

Partilhaste informação e opiniões com o Nicky Hayden?

Não. Cada um fez o seu trabalho.

Sabes que alguns dos pilotos que estiveram em Sepang acham que tu és um candidato ao título…

Creio que isso é um exagero porque ainda não estou preparado. Ainda me falta muito por aprender. Quanto mais tempo passo aqui, mais sinto que há muitas mais coisas que influenciam na hora de vencer uma corrida. Coisas essas que ainda me faltam dominar. Por enquanto, o título ainda está um pouco longo do meu alcance.

Quais pensas que possam ser os rivais de Rossi este ano, do que viste até agora?

Até agora parece que as Ducati estão muito bem, mas também o Hayden, Melandri e Edwards estão em grande nível. Mas uma coisa é a pré temporada, e outra bem diferente são as corridas, pelo que vamos ver o que sucede quando chegarem os Grandes Prémios.

Que planos tens para estes dias?

Não temos muito tempo e como tal não vou a casa. Vou directo para a Austrália e talvez passe uns dias em Melbourne antes de ir para Phillip Island.

Dani Pedrosa testa este semana em Phillip Island juntamente com outros pilotos de MotoGP.

Tags:
MotoGP, 2006, Dani Pedrosa

Outras actualizações que o podem interessar ›