Compra de bilhetes
VideoPass purchase

A guerra dos pneus (parte 2): Bridgestone

 A guerra dos pneus (parte 2): Bridgestone

A guerra dos pneus (parte 2): Bridgestone

Esta semana na secção "Isto é MotoGP" levamo-lo aos bastidores de uma das interessantes lutas do Campeonato do Mundo. Desempenhando um papel secundário, mas nem por isso menos importante nas lutas vividas em pista, está aquilo a que chamamos de "Guerra dos Pneus". A força dominante neste duelo tem sido a Michelin.

A marca japonesa Bridgestone delineou o plano de ataque ao construtor francês em 2003. Em 2004 Makoto Tamada deu-lhes o primeiro triunfo de MotoGP no Brasil. Na temporada passada garantiram mais vitórias (graças da Loris Capirossi) e vários lugares no pódio, confirmando a sua excelente progressão. Em 2006 o fabricante nipónico de borrachas vai voltar a ser utilizado por várias formações, incluindo Ducati, Kawsaki e Suzuki.

Com paços seguros, a Bridgestone tem-se vindo a tornar num sério concorrente da Michelin. A liberdade das equipas de MotoGP para escolherem o seu fabricante de pneus permite-lhes viver mais uma apaixonante luta que se pode revelar o elemento principal para o sucesso ou falha de pilotos e equipas na pista.

Tags:
MotoGP, 2006

Outras actualizações que o podem interessar ›