Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Dupla da Repsol Honda em busca do topo

Dupla da Repsol Honda em busca do topo

Dupla da Repsol Honda em busca do topo

Os pilotos da Repsol Honda Nicky Hayden e Dani Pedrosa vão, uma vez mais, lutar com os melhores pilotos do mundo este fim-de-semana na terceira ronda do Campeonato do Mundo de MotoGP que leva o pelotão até à Turquia. Após duas boas corridas os pilotos da talentosa equipa oficial da Honda estão em segundo e terceiro no Campeonato do Mundo e vão para os 5,340 km de Istambul Park determinado em pressionar ainda mais o líder da classificação Loris Capirossi.

No seu quarto ano com a Repsol Honda, o norte-americano de 24 anos, Hayden, está a viver o seu mais forte início de temporada na sua carreira de MotoGP. Ao terceiro posto em Jerez, Nicky somou brilhante prestação no Qatar com forte luta pelo segundo posto e terminando a apenas 0,9s do Campeão do Mundo Valentino Rossi. Mais um resultado entre os três primeiros na Turquia e isso significará a sua sétima visita consecutiva ao pódio, salientando ainda mais a grande consistência que Hayden tem vindo a apresentar. Este ano o norte-americano já mostrou que não ficará satisfeito com resultados que não vitórias.

O estreante no MotoGP este ano, Pedrosa, vai de novo atacar uma pista que já visitou antes, mas desta feita aos comandos de uma moto com mais do dobro da potência que a sua anterior Honda RS250 e 50% mais pesada que a máquina com que rodou no Campeonato do Mundo de 250cc de 2005. Com um impressionante segundo lugar na sua estreia na categoria rainha e com o sexto posto na segunda jornada no Qatar, o jovem catalão de 20 anos mostrou já estar à altura dos desafios que tem pela frente. Se conseguir uma largada mais rápida que nas duas primeiras corridas, Pedrosa poderá rodar na frente e lutar pelo triunfo desde a primeira volta.

Nicky Hayden

"A Turquia não me faz lembrar mais nenhuma pista – temos de estar prontos para tudo! Tem muitas mudanças de elevação, o que significa que temos de encontrar boa afinação da suspensão – algo que funcione bem com a as curvas planas, mas também nas curvas a subir e descer. A pista tem zonas mesmo muito rápidas, alguns pontos de forte travagem e depois no final da volta umas curvas muito lentas em primeira velocidade. A curva um é algo complicada, bem com 11º, uma direita em quinta velocidade que se faz quase a fundo; é do melhor que se consegue ter numa máquina de MotoGP. A última parte do circuito não me agrada muito porque é algo apertada para MotoGP – primeira velocidade e pilotagem tipo Karting – mas o resto é bom. Vamos para o Turquia numa altura completamente diferente do ano passado e vamos ver que diferença isso faz."

Dani Pedrosa

"Lembro-me que foi uma corrida difícil em 2005, particularmente no que toca ao início onde houve muita confusão com os pilotos a entrarem na primeira curva. Precisamos mesmo de uma boa partida! E também tive problemas no final da corrida com o pneu frontal que estava mais gasto do lado esquerdo que o ideal. Mesmo assim, fizemos boa corrida e terminámos em segundo. Em Istambul é nítido que o desenhador do circuito foi o mesmo de outras pistas que visitamos, como Xangai, apesar de pensar que é um traçado muito mais equilibrado e variado. Tem zonas muito lentas, mas penso que isso se deve ao facto de ser uma pista desenhada para a F1. Mas de forma geral não é um mau circuito. Este fim-de-semana temos de fazer o mesmo de sempre: tentar compreender o circuito o mais depressa possível e encontrar boa afinação para a corrida. Espero que o tempo também esteja bom."

Tags:
MotoGP, 2006, GRAND PRIX OF TURKEY, Repsol Honda Team

Outras actualizações que o podem interessar ›