Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Pilotos da Honda trabalham afincadamente no Dia do trabalhador

Pilotos da Honda trabalham afincadamente no Dia do trabalhador

Pilotos da Honda trabalham afincadamente no Dia do trabalhador

Depois de um espectacular GP da Turquia em Istambul Park este domingo, muitas das estrelas que competem no Campeonato do Mundo ficaram no local para cumprirem um dia de testes com a marca de pneus, Michelin.

Os três pilotos da Honda que dominaram o pódio da corrida de MotoGP, Marco Melandri, Casey Stoner e Nicky Hayden aproveitaram a oportunidade para testarem novos pneus de corrida da Michelin e diversos chassis alternativos e suspensões nas suas Honda de 990cc.

Nicky Hayden, cujo terceiro lugar na corrida o coloca na liderança do campeonato, esteve particularmente activo. Hayden, de 24 anos e natural de Owensboro, Kentucky, cumpriu 86 voltas para testar combinações de chassis e suspensões, antes de se dedicar ao teste dos pneus dianteiros da Michelin. O ex Campeão da AMA Superbike mostrava-se satisfeito com o trabalho realizado, já que conseguiu melhorar o seu desempenho com a moto oficial da equipa Repsol Honda.

O colega de equipa de Hayden na Repsol Honda, Dani Pedrosa, que caiu na derradeira volta da corrida domingo quando estava em terceiro cumpriu um importante registo de testes apesar da baixa temperatura que se fazia sentir. Pedrosa, o actual duplo Campeão do Mundo de 250cc, está na sua temporada de estreia em MotoGP e ainda procura uma melhor adaptação à moto. O jovem espanhol estava um pouco desapontado com a queda, já que não estava sob pressão e afirma que vai tentar aprender com o erro cometido.

Marco Melandri (Fortuna Honda), que venceu a corrida de domingo pela segunda temporada consecutiva, realizou 81 voltas para testar pneus da Michelin. Melandri ganha confiança de cada vez que sai para a pista com a RC211V de 2006 e isso viu-se neste dia de testes. O jovem italiano e a Michelin trabalharam muito para melhorar o pneu da frente e terminaram o dia em boa disposição depois de terem encontrado um pneu dianteiro mais propício ao estilo de pilotagem do italiano.

O colega de equipa de Melandri na Fortuna Honda, Toni Elias não testou a RC211V hoje. O jovem espanhol que realizou a melhor volta na corrida de domingo na sua penúltima volta, não tinha muita coisa para testar e como tal decidiu não sair para a pista.

Casey Stoner, que quase conseguiu ascender à liderança da corrida numa manobra de ultrapassagem na derradeira volta, foi o mais rápido em pista com a RC211V. Utilizando pneus de corrida da Michelin, Stoner rodou em 1m52,42s, 1,8s mais rápido do que o seu tempo na corrida – e fê-lo num pneu dianteiro que já havia cumprido 19 voltas!

A estrela japonesa Makoto Tamada (Konica Minolta Honda) parece estar a conseguir acabar com os pneus que o têm afectado desde o início da temporada. Tamada trabalhou para melhorar o seu "feeling" em relação à RC211V com um novo pneu dianteiro da Michelin tendo terminado este teste com um sorrido nos lábios. O piloto esteve melhor na corrida do que sugere o 10º lugar alcançado e com revigorada vontade, espera poder fazer melhor já no próximo GP da China.

O Team Roberts KR211V teve muitos problemas para encontrar uma boa afinação na qualificação, o que lhes impossibilitou de serem competitivos durante a corrida.

A escassez de tempo em pista com o facto de terem apenas um piloto tem impedido que os progressos surjam mais rapidamente, mas neste teste, o piloto Kenny Roberts Jnr esteve muito bem com o chassis do Team Roberts equipado com o motor da Honda RC211V. Com pneus de corrida, Roberts fez um tempo de 1m 53,6s, quase dois segundos mais rápido do que o seu melhor tempo na corrida de domingo.

Nicky Hayden, Repsol Honda: 1m52,90s - 86 voltas:

"Foi um bom dia de trabalho e conseguimos resolver alguns problemas que sentimos na corrida. Testámos combinações de suspensões mas nada de muito importante, bem como os novos pneus da Michelin. Encontrámos algumas afinações que gostamos e outras que não funcionam, pelo que valeu mesmo a pena. Quero agradecer ao pessoal da Repsol Honda e da Michelin por terem trabalhado tão arduamente."

Dani Pedrosa, Repsol Honda: 1m56,36s - 48 voltas:

"Trabalhámos nalgumas ideias que tivemos durante o fim-de-semana e que não se podem testar em corrida. Coisas que nos podem ajudar em muito durante uma prova. Testámos também novos pneus da frente da Michelin já que na corrida tive problemas! As condições do tempo não eram as ideias pelo que foi difícil aquecer os pneus e mantê-los à temperatura ideal. No entanto, o bom foi sentir que os pneus estavam a trabalhar e a obter boa informação para a Michelin analisar. Ainda me sinto desapontado por causa do acidente porque cai na última volta sem ninguém a pressionar-me, numa corrida onde poderia ter tido mais um pódio na minha temporada de estreia. Mas aconteceu e apenas posso aprender com os erros cometidos."

Marco Melandri, Fortuna Honda: 1m53s - 81 voltas:

"Para ser honesto estava muito cansado quando cheguei à pista esta manhã mas acabou por ser um dia excelente para nós. Trabalhámos muito com a Michelin e aos resultados são positivos, em especial no que toca ao pneu da frente. Quando se trava tão forte como o fazemos agora, o pneu vai perdendo qualidades à medida que a corrida decorre. Mas hoje encontrámos um pneu que mantém a sua performance. Basicamente estamos à procura de um pneu com uma construção mais sólida que aguente um bom desempenho em termos de aderência por mais voltas e que se adapte ao meu estilo de pilotagem. Estou satisfeito porque o conseguimos."

Casey Stoner, LCR Honda: 1m52,42s - 55 voltas:

"Passámos o dia a tentar fazer com que a moto de reserve fique igual à de corrida e só depois testámos os pneus da Michelin. Preciso apenas de testar algumas coisas que não temos tempo de experimentar nos treinos de um GP. A equipa testar algumas novas soluções, trocou algumas coisas de uma moto para a outra e as coisas funcionaram. Quando realizámos o melhor tempo da corrida na 19ª volta, tenho de estar contente com o pneu que já tenho. Considerando a minha falta de experiência numa moto de MotoGP tenho de estar satisfeito."

Makoto Tamada, Konica Minolta Honda: 1m53,22s - 82 voltas:

"Dedicámos o dia a testar pneus e os resultados foram bons. Juntamente com a Michelin encontrámos um bom ponto de partida e fiz 10 voltas em 1m53,5s, sendo que a volta mais rápida foi em 1m53.22s. A Michelin tem algumas boas soluções para o futuro e estou contente com o que conseguimos."

Kenny Roberts Jnr, KR Honda: 1m 53,6s - 75 voltas:

"Penso que temos de melhorar cerca de um segundo mas para isso precisamos de mais tempo. Também temos tido pouco sorte com o tempo, já que faz-nos perder dias de testes nos fins-de-semana de GP. Isso, juntamente com a dificuldade de desenvolver uma moto nas corridas fora da Europa, justifica o nosso atraso. Não obstante, rodámos em 1m53,7s o que é bom, já que é bastante melhor do que na corrida. Teremos um novo chassis em Le Mans e espero poder ser pelo menos meio Segundo mais rápido do que agora. Também não tenho um colega de equipa e isso atrasa o desenvolvimento."

Tags:
MotoGP, 2006, GRAND PRIX OF TURKEY

Outras actualizações que o podem interessar ›