Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Nakano e De Puniet mostram determinação em Xangai

Nakano e De Puniet mostram determinação em Xangai

Nakano e De Puniet mostram determinação em Xangai

Shinya Nakano e Randy de Puniet da Kawasaki deixaram o GP da China um pouco frustrados, já que problemas de tracção impediram ambos os pilotos de lutarem pelos lugares da frente.

Nakano terminou com a sua Kawasaki Ninja ZX-RR em décimo lugar, com De Puniet a terminar em 12º, numa corrida que foi ganha pelo homem da Honda, Dani Pedrosa.

uma largada agressiva de Nakano fez com que após duas curvas já estivesse em quarto lugar, mas o japonês de 28 anos de idade caiu para sétimo ainda na primeira volta, já que três passaram por ele em pura aceleração.

O piloto da Kawasaki ficou na roda do grupo da frente por mais duas voltas, mas um agressiva distribuição de potência por parte da sua Ninja ZX-RR fazia com que a roda traseira derrapasse à saída das curvas, fazendo com que o piloto perdesse tempo em todas as curvas e acabando por o fazer perder o contacto com os pilotos que seguiam à sua frente.

Incapaz de diminuir a desvantagem, e tendo problemas com a degradação do pneu da frente da sua Ninja ZX-RR, Nakano assumiu que no último terço da corrida estava destinado a lutar pelo máximo número de pontos possível. O piloto japonês logrou ficar entre os dez primeiros, mas mostrou-se agastado com o facto de não ter conseguido realizar a corrida que desejava e que mostrou ser capaz de fazer na primeira volta, devido a problemas que escapam ao seu controlo.

O colega de equipa de Nakano, Randy de Puniet, foi rápido a largar, mas o rookie em MotoGP perdeu muito tempo na primeira curva, com problemas em engrenar a segunda na sua Ninja ZX-RR.

O francês de 25 foi rápido em assumir uma postura de concentração e tentar recuperar os lugares perdidos, mas ficou frustrado com o seu pneu traseiro começou a perder aderência com apenas seis voltas disputadas na corrida. De Puniet continuou a forçar o andamento o mais que podia com o pneu traseiro a derrapar em todas as curvas, e com isso foi incapaz de recuperar terreno para os pilotos que seguiam á sua frente, da mesma forma que o seu colega de equipa, acabou por rodar apenas para os pontos.

Shinya Nakano

"Larguei bem e a moto parecia estar muito boa; podia forçar e estava a gostar de estar na luta pelos lugares da frente. Mas depois um grupo de pilotos passou-me, ainda que tenha conseguido ficar na sua cola durante algumas voltas, comecei a perder terreno quando o pneu traseiro começou a perder aderência. Tivemos um problema similar em Istambul, ainda que não tenha sido tão mau, mas foi suficiente para eu perder tempo e perder o contacto com o grupo à minha frente. Mais para o fim, comecei a perder a aderência também na frente, tendo mesmo perdido totalmente o controlo da frente a certa altura. Foi ai que decidi que tinha alguma vantagem sobre o Elias e que deveria rodar apenas para os pontos. É claro que é frustrante mas penso que é um problema que podemos ultrapassar. Espero que possamos encontrar uma solução antes do GP de França, já esta semana."

Randy de Puniet

"Na primeira curva não consegui que a moto engrenasse a segunda, e tive de desacelerar antes de entrar. Quando olhei, o grupo que estava à minha frente já lá não estava. Tentei ao máximo recuperar terreno, mas depois comecei a perder terreno na traseira, e nas dez voltas seguintes foi piorando. Estou desapontado por não ter terminado melhor classificado do que em Istambul, mas dei o meu máximo. Se tivesse ido mais depressa teria caído. Apesar do desapontamento, foi mais uma corrida e mais experiência para mim. Agora tenho de olhar para a próxima corrida em Le Mans, onde espero obter um bom resultado para mim e para a equipa."

Harald Eckl: Team Principal

"Claramente ainda temos trabalho a fazer para diminuir a desvantagem para o topo do pelotão. Este último fim-de-semana fomos 10 km/h mais lentos em termos de velocidade de ponta, num circuito com as mais longas rectas do calendário de MotoGP. Para colmatar esta dificuldade os nossos pilotos tiveram de dar o máximo nas outras partes do circuito, e vimos que isso afectou a durabilidade dos pneus. Ambos os pilotos tiveram problemas de pneus, mas os do Shinya com o pneu dianteiro foram muito grandes. Temos de fazer com que o motor nos de mais velocidade de ponta, mas também temos de identificar as causas dos problemas que afectaram o Shinya nas últimas duas corridas. Não sei se teremos tempo para encontrar uma solução até Le Mans mas espero que seja possível."

Tags:
MotoGP, 2006, POLINI GRAND PRIX OF CHINA, Randy de Puniet, Shinya Nakano

Outras actualizações que o podem interessar ›