Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Kawasaki reconhece pontos positivos da performance de Mugello

Kawasaki reconhece pontos positivos da performance de Mugello

Kawasaki reconhece pontos positivos da performance de Mugello

Com algumas das mais importantes pessoas da KH1 a marcarem presença em Mugello, a Kawasaki Racing Team acabou por estar algo apagada durante o fim-de-semana, mas a performance dos pilotos Shinya Nakano e Randy de Puniet deu à equipa a noção das melhorias que tem de fazer. A equipa ficou em Itália com o piloto de desenvolvimento Olivier Jacque para realizar uma sessão de testes na segunda-feira.

Nakano tinha intenções de evitar o mesmo destino de Le Mans, prova em que foi penalizado com um stop-and-go por falsa partida. O piloto japonês acabou por terminar em 11º em Mugello.

"Treinei as minhas partidas este fim-de-semana e parece que deu resultado, hoje fiz uma das melhores largadas do ano, saltando de quinto para terceiro na primeira curva. Mas foi aí que os problemas começaram. Não consegui manter-me com o grupo da frente, eles pura e simplesmente passaram por mim e desapareceram. Também se verificou o mesmo com o segundo grupo, conseguia acompanhá-los nas curvas, mas desapareciam na recta. Não tinha problemas com a moto, os pneus trabalharam bem durante a corrida e rodei o mais forte que pude. Mas ainda terminámos fora do Top 10 depois do John Hopkins me passar na última volta. Sabia que ele estava a aproximar-se, mas era pouco o que podia fazer para defender a posição quando tinha uma moto que era tão fácil de ultrapassar em recta. Temos de encontrar mais potência no final do regime e sabemos que também temos de melhorar o comportamento da Ninja ZX-RR e pensei que isto é bem visível com o resultado de domingo."

O companheiro de equipa Randy de Puniet ficou fora dos pontos, com uma lesão a prejudicar o francês.

"Foi uma corrida muito difícil, principalmente porque comecei muito atrás na grelha e tornei as coisas ainda piores com a má partida; creio que estava próximo do último na primeira curva. Depois concentrei-me e consegui passar alguns pilotos passando para 12º, mas depois comecei a sentir dores nas costas ainda devido à lesão de Le Mans e isso tornou as difíceis para fazer bons tempos por volta. Quando o Edwards me passou no final tentei ficar com ele, mas foi impossível. É claro que preferia ter terminado melhor classificado na corrida, mas tendo em conta a qualificação não foi um resultado assim tão mau. Tenho mais uma corrida terminada nas minhas estatísticas e aprendi muito em resultado de ter lutado ao longo do pelotão. Sem a desvantagem da má partida da sexta linha e sem o problema nas minhas costas penso que tinha potencial para estar a lutar no grupo do Shinya. A moto funcionou bem, a minha equipa fez trabalho fantástico e apenas espero conseguir bom resultado na Catalunha dentro de duas semanas."

Harald Eckl, responsável da equipa, estava desapontado com os resultados, mas recusou ver a corrida como uma experiência negativa.

"Este fim-de-semana tivemos várias pessoas importantes da KH1, do Japão, a visitarem a equipa e penso que eles vão sair daqui com melhor entendimento de onde temos de concentrar os nossos esforços de desenvolvimento depois desta corrida. Melhorias no comportamento da Ninja ZX-RR são importantes, mas como o Shinya mostrou, também precisamos de mais velocidade de ponta se não queremos perder posições em recta nos circuitos rápidos como Mugello e Catalunha. Ambos os pilotos fizeram boa corrida, mas no final os resultados não lhe fazem justiça."

Tags:
MotoGP, 2006, GRAN PREMIO D'ITALIA ALICE, Kawasaki Racing Team

Outras actualizações que o podem interessar ›