Compra de bilhetes
Compra de VideoPass

Tamada em conversa antes de correr em casa

Tamada em conversa antes de correr em casa

Antes do Grande Prémio deste fim-de-semana Makoto Tamada respondeu a algumas questões sobre o circuito e a forma como trabalha com a Konica Minolta Honda Team.

Onde é que vives e como é que passas o tempo quando não estás na pista?

Quando não estou no Japão vivo em Verona. A minha casa fica na zona histórica da cidade e tenho uma vista fantástica do rio Adige e do teatro Romano. Verona não é caótica e é um local muito agradável para estar quando não estou em viagens.

Nos dias livres normalmente durmo mais que o habitual, faço jogging no parquet ou ando de bicicleta pelo centro da cidade ou pelas perto de Verona. Quando estou aborrecido sinto mesmo falta do Japão, por isso tento passar o máximo de tempo possível com outros japoneses da equipa. Estou com eles na oficina, passo lá muito tempo a ver e-mails, fotos tiradas durante os GP's, a analisar dados das corridas e quando terminamos vamos jantar todos juntos. Sempre que possível, depois do jantar, vamos jogar bilhar, por isso divertimo-nos muito quando estamos juntos.

Quais são as vantagens e desvantagens de viver longe de casa?

Quando estou no estrangeiro passou a maior parte do meu tempo na Itália. As coisas são boas: Pasta, piza, o tempo e as raparigas. O pior é não poder estar com amigos e familiares.

Que tipo de treino fazes habitualmente para as corridas?

Normalmente treino quando estou em casa. No circuito prefiro ficar quieto, a ler ou a ouvir a minha música preferida. Adoro relaxar e encontrar a concentração necessária.

O que pensas da tua pista, Motegi?

O Twin Ring Motegi é o circuito que conheço melhor de entre todos os que fazem parte do campeonato de MotoGP. É um "clássico" de 4.800 metros com uma oval de 2 km para altas velocidades, estudado principalmente para corridas de carros. É um traçado técnico, com características exigentes para pilotos e equipas devido ao desenho e ao tempo imprevisível.

Adoro o Twin Ring! Foi aqui que tive as minhas melhores experiências e muitas vitórias, tanto no MotoGP como nas SBK. Este circuito significa muito para mim porque passei aqui muito tempo e tenho boas memórias do meu amigo Daijiro Kato. Para o próximo GP, a minha corrida em casa, vou fazer o melhor para ganhar.

A minha equipa vai melhorar a afinação da Honda RC211V desde a primeira sessão de treinos para estar bem ajustada às exigências do circuito de Motegi. Só depois nos concentraremos na escolha dos melhores pneus para a corrida. Aqui a concentração e determinação serão ainda maiores que o habitual. É muito estimulante para mim correr aqui.

De todos os pilotos de MotoGP qual é o teu melhor amigo?

De entre todos houve apenas um. Era o Daijiro Kato.

E na tua equipa?

Por motivos culturais, dou-me melhor com os japoneses, isto apesar de adorar a companhia do resto do pessoal da equipa, são muito divertidos!

Trabalho com esta equipa desde 2003. Vivemos muitas experiências boas em conjunto. Agora, mesmo com as coisas a não estarem tão fáceis, nunca deixam de me apoiar. Pelo contrário, mostraram sempre confiança nas minhas possibilidades e isso tem sido grande ajuda.

Como é a comunicação entre ti e a equipa? É fácil apesar da tua língua mãe ser o japonês?

A comunicação dentro da equipa é sempre feita em inglês. Usam sempre palavras simples para que consiga compreender. Quando é muito difícil peço sempre ajuda aos outros japoneses da formação.

Consigo entender o Bernardelle quando fala inglês, mas para evitar desentendimentos, quando tenho de lhe responder faço-o sempre em japonês e peço ao chefe de mecânicos para traduzir.

Tags:
MotoGP, 2006, Makoto Tamada

Outras actualizações que o podem interessar ›